Empresário mais rico da China "investigado" por crimes económicos


 

Lusa/AOonline   Economia   28 de Nov de 2008, 10:23

O mais rico empresário da China continental, com uma fortuna estimada em 43 mil milhões de yuan (cinco mil milhões de euros), está ser investigado por suspeita de “crimes económicos”, disse a polícia de Pequim.
Trata-se de Huang Guangyu, presidente da Gome (“Guo Mei”), uma cadeia de lojas de electrodomésticos, e investidor imobiliário.

    A Gome está cotada na Bolsa de Hong Kong, mas a transacção das suas acções foi suspensa segunda-feira passada, antes da prevista divulgação dos resultados da empresa nos primeiros nove meses do ano.

    Os resultados indicam que os lucros aumentaram 111 por cento em relação a igual período de 2007, disse a agencia noticiosa oficial chinesa.

    A Gome, que emprega cerca de 300.000 pessoas, tem 1.300 lojas em mais de 300 localidades.

    A empresa anunciou hoje que já nomeara um presidente interino e disse que o director financeiro está também a ser “investigado”.

    Huang Guangyu, 39 anos, encabeçava a última lista anual dos “Mil mais ricos da China”, divulgada o mês passado.

    A policia não indicou se Huang Guangyu está detido e de que tipo de "crimes económicos" é suspeito.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.