Empresa garante que adjudicação dos novos navios obedeceu às regras


 

Lusa/AO   Regional   6 de Nov de 2008, 05:21

A empresa pública açoriana Atlanticoline garantiu ontem que adjudicação dos novos navios de passageiros aos Estaleiros de Viana do Castelo obedeceu às regras de concursos em vigor e que os contratos foram submetidos ao Tribunal de Contas.
Em comunicado, a Atlanticoline, que assegura o transporte marítimo de passageiros nos Açores, adiantou que o “processo de adjudicação dos navios aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo obedeceu às regras concursais em vigor e os contratos foram submetidos ao visto do Tribunal de Contas”.

    A garantia da empresa pública surge no dia em que o PSD/Açores pediu uma auditoria do Tribunal de Contas ao sistema de transporte marítimo de passageiros entre as ilhas, alegando que já foram "delapidados 75 milhões de euros do erário público" neste sector.

    A Atlanticoline encomendou aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo dois navios para o transporte de passageiros e viaturas no Arquipélago mas notícias recentes indicam que a construção de uma das embarcações está atrasada, alegadamente devido a problemas no projecto inicial.

    "Já se torraram 50 milhões de euros com navios velhos. E agora vai-se gastar mais 25 milhões com um navio que não se aguenta bem em pé. A culpa não pode, mais uma vez, morrer solteira e o Governo Regional e Carlos César têm de dar explicações aos açorianos", afirmou Jorge Macedo, porta-voz do partido para a área dos Transportes, em conferência de imprensa.

    Na resposta, a empresa admite que, há cerca de um mês, os estaleiros detectaram um “item que não era cumprido”, nos testes de inclinação feito ao primeiro navio a fornecer à Região, relacionado com a estabilidade da embarcação em caso de avaria no mar.

    Perante isso, o construtor “apresentou à Atlanticoline uma proposta para a solução deste assunto, que, em princípio, não implica a alteração dos pontos essenciais” para os novos navios, caso de operacionalidade nos portos dos Açores e da velocidade.

    Segundo a empresa de capitais públicos dos Açores, competia aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo elaborar os projectos definitivos, bem como proceder à construção dos navios, de acordo com o estipulado no caderno de encargos e no programa de concurso.

    A Atlanticoline adiantou, também, que está a analisar a proposta do construtor para resolver o problema verificado no navio e “muito em breve vai tomar uma decisão sobre esta matéria”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.