Ajuda externa

Dívida administrativa dos Açores é "insignificante"

Dívida administrativa dos Açores é "insignificante"

 

Lusa/AO online   Regional   7 de Set de 2011, 17:49

O presidente do Governo dos Açores, Carlos César, esclareceu que a dívida administrativa do sector público da Região é “insignificante”, reafirmando a necessidade de serem distinguidos os valores relativos aos Açores e à Madeira.
“Importa, em abono da transparência, clarificar que no apuramento da dívida administrativa das regiões autónomas 98,5 por cento é da responsabilidade da Madeira (623 ME) e apenas 1,5 por cento dos Açores (10,9 ME)”, refere Carlos César numa nota de esclarecimento.

O presidente do executivo açoriano refere-se aos dados divulgados pela Direcção-Geral do Orçamento, salientando que “o valor divulgado (sobre a dívida administrativa das regiões autónomas) agrega as duas administrações regionais, pelo que não distingue nem identifica o valor de cada região”.

Na sequência dos valores relativos a cada região autónoma, Carlos César considera que se “comprova uma vez mais que a Região Autónoma dos Açores tem uma dívida administrativa insignificante”.

Nesse sentido, refere que representa “apenas 0,0025 da dívida administrativa do país e é 65 vezes inferior à da Madeira”.

Por outro lado, considera que os dados divulgados pela Direcção-Geral do Orçamento confirmam “os dados recentes do Ministério das Finanças, que calculou, em 2010, em 21 dias, o prazo médio de pagamentos pela Administração Regional nos Açores e em 189 dias o prazo de pagamento médio na Madeira”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.