Distrital do PSD apresenta alternativa a empréstimo


 

Lusa/Ao online   Nacional   3 de Dez de 2007, 07:49

A comissão distrital de Lisboa do PSD apresenta hoje à tarde, em Lisboa, uma proposta alternativa à contracção de um empréstimo de 500 milhões de euros por parte da Câmara de Lisboa destinado ao saneamento financeiro da autarquia.
Em declarações à Agência Lusa, o presidente da distrital de Lisboa do PSD, Carlos Carreiras, escusou-se a adiantar pormenores sobre a proposta a apresentar

    Carlos Carreiras anunciou ainda uma reunião hoje à noite dos deputados municipais sociais-democratas, na sede da Assembleia Municipal de Lisboa, para decidirem o sentido de voto para a reunião de terça-feira da Assembleia Municipal de Lisboa, na qual será viabilizado ou não o empréstimo pretendido pelos socialistas e pelo vereador do Bloco de Esquerda.

    O líder do PSD, Luís Filipe Menezes, mostrou-se domingo "despreocupado" com os problemas do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que a semana passada admitiu a hipótese de se demitir caso os deputados municipais do PSD inviabilizassem o empréstimo de 500 milhões de euros a duas "tranches" - uma primeira de 360 milhões de euros e uma segunda de 140 milhões.

    “Os autarcas do PSD irão dizer o que pensam desse assunto porque são responsáveis, também não temos medo nenhum de eleições antecipadas em lugar nenhum do país e não recebemos ameaças de ninguém”, sublinhou Luís Filipe Menezes, que falava em Angra do Heroísmo.

    Por seu turno, o presidente da Câmara de Lisboa, que inicialmente apelou à oposição para que apresentasse propostas alternativas para o saneamento financeiro da autarquia, disse sábado que já não era possível apresentar outras soluções para o pagamento de dívidas da autarquia, alegando que os dirigentes nacionais e distritais do PSD se têm pronunciado sobre aquela questão sem conhecimento da situação.

    "Não é possível apresentar novas propostas sobre esta matéria. Foi aberto concurso, foi feita a negociação com a banca e nunca ninguém pôs em causa o montante. É inexplicável que isso aconteça agora", referiu António Costa em declarações aos jornalistas à margem das comemorações oficiais do dia da Restauração.

    Para o presidente da autarquia de Lisboa, só a Câmara pode fazer propostas para saldar a dívida da Câmara.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.