Desapareceram mais de 60 unidades de medicamento usado no tratamento do VIH

Desapareceram mais de 60 unidades de medicamento usado no tratamento do VIH

 

Lusa/AO Online   Nacional   12 de Mar de 2019, 09:35

Mais de 60 unidades do medicamento Trvicay 50mg, usado no tratamento de pessoas infetadas com o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) desapareceram de um distribuidor, anunciou o Infarmed.

Segundo a Autoridade Nacional do Medicamento, desaparecerem de um distribuidor por grosso de medicamentos de uso humano em Portugal 68 unidades de Tivicacy 50 mg em comprimidos pertencentes ao lote n.º XH2H.

O Infarmed garante que estão já em curso ações inspetivas ao circuito do medicamento.

“Atendendo a que não se pode afastar a possibilidade das unidades do lote acima referido serem transacionadas no circuito legal, no caso de se verificar a deteção, cedência ou aquisição de unidades do lote acima mencionado, deverá ser investigada a sua proveniência, nomeadamente se a origem é de um distribuidor autorizado pelo Infarmed, e comunicada a este Instituto qualquer suspeita sobre a autenticidade”, acrescenta.

O Tivicay é indicado, em combinação com outros medicamentos antirretrovíricos, para o tratamento de adultos, adolescentes e crianças com mais de seis anos de idade infetados com VIH.

Entretanto, o Infarmed informou também que o medicamento Emtricitabina + Tenofovir Milan, indicado como profilaxia pré-exposição para reduzir o risco de aquisição da infeção por VIH-1 por via sexual em adultos de elevado risco, obteve autorização para ser utilizado em meio hospitalar.

O uso deste medicamento é restrito aos casais em que um dos elementos é seropositivo e aos casais em que o estado de infeção é desconhecido para ambos os elementos, na população de homens que fazem sexo com homens.

Trata-se do 1.º genérico do medicamento Truvada a ser financiado em profilaxia pré-exposição por VIH-1.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.