Curso de Medicina do Trabalho colmata lacuna

Carregando o video...

 

João Cordeiro   Regional   7 de Out de 2008, 18:42

A directora regional da Saúde, Teresa Brito, reconhece a falta de profissionais de Medicina do Trabalho, nos Açores, mas acredita que o curso de Pós-graduação nesta área apresentado ontem em Ponta Delgada, da responsabilidade da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais, em parceria com a Universidade dos Açores e a Universidade de Coimbra,  vai permitir colmatar esta carência da Região.
“Com este curso de Pós-graduação, pretendemos reforçar o número de profissionais nesta área para dar resposta não só às exigências do mundo laboral, mas também, por via da Medicina do Trabalho, promover a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e da população em geral”, adianta a directora regional.
Neste momento, o número de profissionais de Medicina do Trabalho na Região é insuficiente, daí que as necessidades estejam a ser colmatadas com o recurso a médicos que, não tendo esta competência específica, possuem uma autorização especial para o seu exercício.
Aos cerca de vinte profissionais que actualmente exercem esta actividade, podem juntar-se, dentro de dois anos, altura em que termina a formação, os vinte e oito médicos de São Miguel, Terceira, Faial e São Jorge que se encontram inscritos na Pós-graduação.
Teresa Brito considera “benéfico que os profissionais inscritos consigam ter a formação na Região, evitando deslocações à Universidade de Coimbra” e todos os gastos que implicariam.
Segundo o reitor da academia açoriana, Avelino Meneses, “o projecto de desenvolvimento da Universidade dos Açores exige a promoção de áreas científicas que resulte, inequivocamente, em benefício da condição de vida das populações”, como é o caso da área da saúde, e da medicina, em particular, através desta formação em Medicina do Trabalho.
“Em áreas científicas estruturantes e nobres do saber universitário, mas para as quais não possuímos os recursos humanos e técnicos capazes do empreendimento de projectos por inteiro, recorremos à parceria com outras instituições para pormos em funcionamento cursos, quer de graduação, quer de pós-graduação”, referiu Avelino Meneses, explicando a parceria com a Universidade de Coimbra, que considera “a mais prestigiada de Portugal, e que por si só constitui uma garantia de competência e de sucesso para o curso que agora começa”.
O curso é dedicado a licenciados e mestres na área da Medicina e conta com a coordenação de Salvador Massano Cardoso, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, que lembrou que “a maior parte das patologias que atingem os seres humanos devem-se ao trabalho, ou são agravadas pelo trabalho”, daí que considere “indispensável a formação de profissionais nesta área, de modo a garantir a qualidade de vida dos cidadãos”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.