Açoriano Oriental
Covid-19
Comissão Europeia paga 70 ME por 500 mil doses de medicamento remdesivir

A Comissão Europeia assinou um contrato de 70 milhões de euros com a empresa farmacêutica Gilead para fornecimento de 500 mil doses do antiviral remdesivir, o primeiro medicamento autorizado na União Europeia (UE) para a covid-19.

Comissão Europeia paga 70 ME por 500 mil doses de medicamento remdesivir

Autor: Lusa/AO Online

Em comunicado, o executivo comunitário dá conta da assinatura de um “contrato-quadro de aquisições conjuntas com a empresa farmacêutica Gilead para o fornecimento de até 500 mil doses de tratamento de Veklury, a marca da remdesivir”.

Orçado em 70 milhões de euros, o contrato, ao abrigo do apoio europeu do Instrumento de Apoio de Emergência, foi assinado pela Comissão Europeia em nome de todos os países da UE, do Espaço Económico Europeu, do Reino Unido e ainda dos seis países candidatos e potenciais candidatos (Albânia, Macedónia do Norte, Montenegro, Sérvia, Kosovo e Bósnia e Herzegovina).

Isto significa que “todos os países participantes podem agora fazer as suas encomendas para adquirir diretamente a Veklury”, explica Bruxelas na nota de imprensa.

O antiviral remdesivir, designado oficialmente como Veklury, é o único medicamento com autorização condicional de comercialização na UE para o tratamento de pacientes covid-19 que necessitam de fornecimento de oxigénio.

Este novo contrato surge após um anterior efetuado entre a Comissão e a farmacêutica Gilead para assegurar 33.380 doses de tratamento de Veklury, que têm sido distribuídos em toda a UE e no Reino Unido desde agosto.

O objetivo é que, com as novas doses adquiridas, se consiga “cobrir as necessidades imediatas desde agosto até outubro, para assegurar que os pacientes graves recebam os tratamentos”, adianta o executivo comunitário.



 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.