Terrorismo

China pede repatriamento de detidos em Guantanamo

China pede repatriamento de detidos em Guantanamo

 

Lusa/AOonline   Internacional   9 de Out de 2008, 11:29

A China insistiu que os Estados Unidos devem repatriar os dezassete muçulmanos uigures detidos em Guantanamo e garantiu que eles serão tratados "de acordo com a lei".
"Eles são suspeitos de pertencerem ao Movimento Islâmico do Turquistão Oriental, que está na lista das organizações terroristas reconhecida pelo Conselho de Segurança da ONU", disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Qin Gang.

    "Esperamos que os Estados Unidos repatriem estas pessoas para a China dentro de pouco tempo", acrescentou.

    Os uigures constituem a principal etnia do Xinjiang, uma região autónoma da China, de maioria muçulmana, que confina com o Afeganistão e as ex-repúblicas soviéticas.

    Os dezassetes uigures detidos em Guantanamo foram capturados há sete anos no Afeganistão.

    Um juiz federal norte-americano decretou terça-feira a "imediata libertação", argumentando que a Constituição dos Estados Unidos "proíbe detenções indefinidas".

    Em 2006, cinco outros uigures foram libertados de Guantamano, mas por receio de represálias por parte da China, eles preferiram radicar-se num terceiro país, neste caso, a Albânia.

    "A China é um país governado pela lei e onde a tortura é proibida. Depois de regressarem, eles serão tratados pelas autoridades judiciais de acordo com a lei", disse hoje o porta-voz do MNE chinês.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.