Jornal de campanha

"César tem medo de debate a dois"

"César tem medo de debate a dois"

 

Olímpia Granada   Regional   9 de Out de 2008, 11:16

Costa Neves insistiu ontem, num comício em Vila Franca do Campo, em duas mensagens para os sociais democratas: "Carlos César teme debate televisivo a dois" e "César e Sócrates são farinha do mesmo saco".
Com Rui Melo, autarca e homem-forte do PSD em Vila Franca do Campo, fora da ilha de São Miguel, coube à sua número 2, Eugénia Leal, dar ontem à noite, perto das 21h00, as boas- vindas a Carlos Costa Neves, candidato a presidente do Governo Regional dos Açores, nas eleições do dia 19 de Outubro.
Num jantar-comício na Vila, apresentou ainda o orador seguinte, Pedro Gomes, o candidato nº 6 pela lista de São Miguel, proposto por aquela concelhia do PSD.
“Não estamos nesta campanha em nome do passado, nem a defender a obra – da qual nos orgulhamos - de 20 anos de governação do PSD  mas sim por causa do futuro” e “por causa das pessoas” que “este Governo (do PS) esqueceu, apesar das obras”, disse Pedro Gomes.
O advogado optou por assumir as obras feitas pelo actual governo mas, questionou, dirigindo-se à sala, “meus amigos, queremos uma consulta e não a temos...”, e, continuou, os jovens querem um emprego, “à altura das qualificações” porque não “sendo indigno, custa ver um jovem ser caixa num hipermercado com uma licenciatura”.
Quando Costa Neves fez uso da palavra, elencou medidas que propõe para a Região e, mais uma vez, contrariou quem diz que não vai votar alegando que os políticos são todos iguais. “O PSD não é igual ao PS, eu não sou igual a César. César e Sócrates é que são farinha do mesmo saco” e, sobre o opositor político, denunciou que vai gastar “100 mil euros para trazer aos Açores para a campanha do PS um artista, que os senhores hão-de ver o nome nos jornais, para ter muita gente, e nos intervalos dizer então aos açorianos o que quer. Acho que é imoral quando há tantos açorianos a passar dificuldades”. E, sempre dirigindo-se a César, acusou-o uma vez mais de ter medo de o enfrentar num debate a dois.

Campanha na Povoação
O líder do PSD/Açores andou ontem de tarde na Povoação em campanha de rua,  acompanhado por candidatos a deputados da lista social democrata por São Miguel, entre os quais o nº 6, Francisco Álvares.
O autarca povoacense agora com o mandato suspenso fez as honras da casa e quis mostrar a Carlos Costa Neves que a gestão laranja na Câmara  é apreciada pelos habitantes, afirmando que “nestes concelhos, se não fossem as câmaras a resolver os problemas das pessoas...”.
Com Berta Cabral, José Manuel Bolieiro, António Soares Marinho, Cláudio Almeida e Maria José Duarte, o líder social democrata trocou impressões com três educadoras de infância. “Ouvi dizer que os professores são os únicos que estão bem...”, ironizou. Questionado, o presidente do PSD/Açores disse “que os professores são daquelas profissões que vivem do seu prestígio, junto dos seus alunos, junto das famílias e da sociedade, incompreensivelmente para mim, o Governo tem feito tudo para a desprestigiar, para lançar dúvidas sob a forma como a exercem, o que também é pôr em causa todo um futuro”.
Ainda sobre os professores disse que experimenta sempre que pode “o seu grau de satisfação porque se o voto é a arma do povo, então eles têm agora a sua arma.”
À margem da campanha eleitoral, lamentou “o falecimento de Veríssimo Borges.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.