Cavaco sublinha importância da coesão social

Cavaco sublinha importância da coesão social

 

Sara Madeira - Lusa / AO online   Nacional   9 de Nov de 2007, 15:07

O Presidente da República, Cavaco Silva, sublinhou a importância da coesão social, tema escolhido para a XVII Cimeira Ibero-Americana de chefes de Estado e de Governo, cujos trabalhos arrancam em Santiago do Chile.
No final de uma visita oficial de dois dias ao Chile, o Chefe de Estado português lembrou que este é um tema que lhe é "muito, muito caro" - o Roteiro para a Inclusão foi uma das iniciativas lançadas por Cavaco Silva no seu mandato presidencial.

"A 'cumbre' é muito importante pelo tema que foi escolhido, que é de uma importância muito grande para a América Latina pelas desigualdades que apresenta mas que também é importante para a Europa, particularmente para países como Portugal", destacou, em declarações aos jornalistas.

Para o Chefe de Estado, o tema da coesão social "é particularmente importante no tempo da globalização".

"É preciso aproveitar as oportunidades da globalização mas complementar com políticas sociais", defendeu.

"Se isso não for feito, a globalização conduz ao agravamento das desigualdades e à pobreza", avisou o chefe de Estado.

Para Cavaco Silva, a coesão deve assentar sobretudo em políticas sociais que "preparem os cidadãos para os desafios do futuro", como a educação ou o conhecimento.

O Presidente da República participou quinta-feira à noite no Acto Inaugural da Cimeira, e hoje fará uma intervenção na sessão inaugural, tal como o primeiro-ministro José Sócrates, que apenas chega esta manhã ao Chile.

A coesão social e o combate à violência serão temas centrais da Declaração de Santiago e de um Plano de Acção, a aprovar pelos chefes de Estado e de Governo, na cimeira ibero-americana que se prolonga até sábado.

De acordo com a proposta do Plano de Acção a aprovar pela Cimeira, os líderes ibero-americanos deverão defender a definição de "políticas públicas democráticas" para enfrentar "com firmeza" a violência na região, que atingiu "níveis preocupantes".

O documento considera que a resolução dos problemas de segurança pública é um elemento "fundamental" para o "fortalecimento da coesão social", objectivo central desta cimeira.

As equipas de especialistas estão também a preparar a Declaração de Santiago, em 27 pontos, agregando uma série de compromissos para "progredir para níveis crescentes de inclusão, justiça, protecção e assistência social, e solidariedade".

Propõe ainda que se impulsione, a partir de 2009, a celebração dos bicentenários das independências das nações ibero-americanas e, em 2008, a comemoração dos 200 anos da chegada da corte portuguesa ao Brasil.

O documento agradece também aos governos da El Salvador, Portugal, Argentina e Espanha, que organizarão as cimeiras ibero-americanas em 2008, 2009, 2010 e 2012, respectivamente.

A cimeira aprovará um Acordo Multilateral Ibero-Americano de Segurança Social, através do qual os trabalhadores poderão acumular os descontos efectuados em países distintos da comunidade para efeitos do cálculo das suas pensões no final da sua vida laboral.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.