Carlos César critica governo por pensar demais no calendário eleitoral

Carlos César critica governo por pensar demais no calendário eleitoral

 

Lusa / AO online   Nacional   10 de Set de 2011, 12:58

O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, defendeu hoje em Braga ser possível “sacrificar menos” os portugueses “se o governo pensar mais em Portugal e menos no calendário eleitoral”.

“É possível sacrificar menos muitos portugueses se o governo pensar mais em Portugal e menos no calendário eleitoral”, afirmou o socialista no XVIII Congresso Nacional do PS a decorrer em Braga até domingo.

Apesar das muitas críticas tecidas ao executivo de Pedro Passos Coelho, que “pede mais a quem não deve, não pede a quem pode e dá a quem não precisa”, Carlos César admitiu os “erros e omissões” do próprio PS ao qual “faltou algumas vezes a humildade para os reconhecer”.

“Mas não devemos permitir que os erros obscureçam as nossas virtudes e história”, salientou, realçando que “o PS deve ter orgulho” na sua história e mudanças que implementou em Portugal após o 25 de abril de 1974.

Apelando por isso à renovação do partido, com “novas pessoas e novas ideias”, Carlos César, que ainda não fez saber se pretende renovar o seu mandato nos Açores, defendeu a necessidade de o partido se deixar “contaminar pela diversidade da realidade de Portugal”.

“É bom que não seja preciso discutir o que cada um quer fazer no partido e se pense no que o PS pode fazer pelos portugueses”, sublinhou.

E porque “há outras formas de governar o país” sem, por exemplo, “aumentar impostos da forma dissociada de uma estratégia económica”, Carlos César lembrou os socialistas presentes que “há outras soluções” sendo esse o “caminho que o PS deve aclarar”.

Garantiu até que “o novo PS no governo será diferente e melhor” sendo “com essa esperança” que vê o partido e o seu novo líder.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.