Cargueiro dinamarquês assaltado por piratas somalis


 

Lusa/AO online   Internacional   8 de Nov de 2008, 10:31

As autoridades marítimas malaias anunciaram hoje que um cargueiro dinamarquês com 13 tripulantes foi atacado e desviado por piratas próximo da Somália.

  Esta semana, a França e a Espanha anunciaram querer tornar-se o motor de uma futura operação aéreo-naval europeia de combate à pirataria, lançada no Djibuti, a bordo da fragata "Courbet", que está acostada à base militar francesa.

    Numa visita relâmpago à região, os ministros da Defesa da França e da Espanha, Hervé Morin e Carme Chacon, assinaram uma "declaração de intenções" sobre a colaboração dos dois países nessa operação de combate à pirataria, que é particularmente activa ao largo da Somália.

    Trata-se da "etapa zero da operação, que terá ainda que ser confirmada em 10 de Novembro" em Bruxelas pelo Conselho de Ministros da Defesa da União Europeia, declarou Morin.

    A iniciativa franco-espanhola é determinada por os dois países estarem a ser confrontados nos últimos meses com actos de pirataria ao largo da Somália e no golfo de Aden, assaltos qualificados pelo Presidente francês, Nicolas Sarkozy, como "verdadeira indústria do crime".

    Duas vezes, em Abril e Setembro, tropas de elite francesas efectuaram operações para libertar reféns caídos nas mãos de piratas somalis a bordo de veleiros.

    De acordo com o Gabinete Marítimo Internacional (BMI), o número de actos de pirataria aumentou desde o início deste ano, com 77 navios estrangeiros atacados por piratas somalianos, ou seja mais do dobro dos assaltos deste género registados em 2007.

    Na sua declaração comum, os dois países dizem-se "gravemente preocupados" por esta situação, fazendo notar que os ataques de piratas "fazem agravar a situação humanitária na Somália", em alusão às agressões contras navios do Programa Alimentar Mundial (PAM) encarregados de levar ajuda humanitária à Somália.

    Cerca de 16 mil navios da marinha mercante transitam anualmente pelo estreito de Bab el Mandeb, passagem obrigatória entre o golfo de Aden e o mar Vermelho, por onde passa quase 30 por cento do petróleo bruto mundial.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.