Câmara de Ponta Delgada distingue cientistas no 473.º aniversário da cidade

Câmara de Ponta Delgada distingue cientistas no 473.º aniversário da cidade

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Abr de 2019, 09:15

O presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada distinguiu, no 473.º aniversário da cidade, os cientistas Alexandre Linhares Furtado, António Frias Martins e Vítor Hugo Forjaz com uma medalha de mérito municipal.

“Hoje e aqui nesta cerimónia dedicada à ciência, soubemos, coletivamente, distinguir e homenagear, com a medalha de mérito municipal, pessoas merecedoras do nosso reconhecimento e, felizmente, vivas e conviventes connosco”, frisou José Manuel Bolieiro.

O autarca social-democrata falava na cerimónia de distinção de três personalidades da ciência que “deram forte contributo ao prestígio de Ponta Delgada e das suas gentes, na investigação científica, na formação do conhecimento e na afirmação universal dos seus saberes”.

Alexandre Linhares Furtado, médico e professor jubilado da Universidade de Coimbra, é natural da freguesia da Fajã de Baixo, concelho de Ponta Delgada, e foi o autor do primeiro transplante renal e da primeira colheita de rins de cadáver feitos em Portugal, tendo impulsionado o programa de transplantação hepática pediátrica e introduzido terapêuticas médicas complementares na área oncológica.

O médico não esteve presente na cerimónia, mas fez-se representar pelo seu neto para receber a medalha de mérito municipal pela mão do autarca de Ponta Delgada, que destacou que “o seu legado científico e prático na medicina” é uma honra para a cidade.

Foi distinguido, também, o biólogo António Frias Martins, professor jubilado da Universidade dos Açores, que foi presidente da Associação Mundial de Malacologia e coordenador do Polo Açores do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, tendo-se especializado em Sistemática e Evolução de Moluscos. Atualmente, preside à Sociedade Afonso Chaves, uma associação que pretende dar continuidade aos estudos sobre temática açoriana nas áreas da Meteorologia, Geologia, Botânica, Zoologia, História, Etnografia e Artes Plásticas.

Sobre o cientista, José Manuel Bolieiro considerou que “é prestigiante para Ponta Delgada, para a Universidade e para os Açores a sua dimensão universal no conhecimento e investigação, no âmbito da biodiversidade”.

Na área da Vulcanologia, foi galardoado o professor jubilado da Universidade dos Açores e especialista em Riscos Geológicos e Vulcanológicos em Ciências Geotérmicas Victor Hugo Forjaz, que preside ao Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores, tendo liderado o Programa Geotérmico dos Açores e contribuído para a fundação da International Society of Planteology e do Instituto de Geociências dos Açores.

“Nós, que somos feitos de maresia e desta lava insular que nos ancora no Atlântico Norte, entre a Europa e a América, temos muito a valorizar o seu saber de vulcanólogo, resultado de intensa investigação”, afirmou o autarca.

A cerimónia faz parte do vasto programa de celebração do 473.º aniversário do reconhecimento de Ponta Delgada como cidade.

Foi a 02 de abril de 1546 que o título de cidade foi concedido àquela que é, atualmente, a maior cidade dos Açores, por carta régia assinada por D. João III, que justifica o título como “reconhecimento do seu dinamismo e crescimento urbano”, lembrou José Manuel Bolieiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.