Açoriano Oriental
Covid-19
Brasil com mais 1.188 mortos e 18.508 infetados

O Brasil registou 1.188 mortos e 18.508 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 20.047 óbitos e 310.087 casos diagnosticados desde a chegada da pandemia ao país, informou o executivo.

Brasil com mais 1.188 mortos e 18.508 infetados

Autor: Lusa/AO Online

No dia em que o país atingiu um novo recorde de mortos, o Ministério da Saúde indicou que está ainda a ser investigada a eventual relação de 3.534 óbitos com a Covid-19.

A tutela informou também que 125.960 pacientes infetados com o novo coronavírus já recuperaram, sendo que 164.080 continuam sob acompanhamento.

O Brasil ocupa a terceira posição na lista de países com o maior número total de casos, atrás da Rússia (mais de 317 mil casos) e dos Estados Unidos da América, que lideram com mais de 1,6 milhões de pessoas diagnosticadas, segundo o portal Worldometer, que compila quase em tempo real informações da Organização Mundial da Saúde, dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças, de fontes oficiais dos países, de publicações científicas e de órgãos de informação.

São Paulo, epicentro da pandemia no país sul-americano, concentra 5.558 vítimas mortais e 73.739 casos de infeção, sendo seguido pelo Rio de Janeiro, que contabiliza 3.412 mortos e 32.089 pessoas diagnosticadas.

Oito das 17 unidades federativas do Brasil já ultrapassaram os 10 mil casos de infeção e seis estados já registaram mais de mil mortos.

Mato Grosso do Sul, localizado na região centro-oeste do país, é o estado menos afetado, com 17 óbitos e 746 infetados.

O número de municípios brasileiros com casos de covid-19 aumentou quase 12 vezes em 53 dias, segundo um levantamento do Ministério da Saúde, segundo o qual mais de metade das cidades do país já registaram casos da doença.

Até ao momento, 3.488 municípios têm, pelo menos, um caso de infeção pelo novo coronavírus, ou seja, 62% dos 5.570 municípios do país.

Na noite de hoje, o secretário executivo substituto do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, afirmou que não é possível dizer se o Brasil já atingiu o pico da doença, referindo ser prematuro fazer essa avaliação dado que um grande número de exames à covid-19 ainda está a ser processado.

"Começamos a perceber que em alguns estados do norte e nordeste há uma estabilização nos números, mas em relação ao Brasil como um todo, ainda é prematuro", afirmou Eduardo Macário em conferência de imprensa.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.