Reino Unido

Blair "descontente" com a forma como Gordon Brown lidera Partido Trabalhista

Blair "descontente" com a forma como Gordon Brown lidera Partido Trabalhista

 

LUsa /AO online   Internacional   14 de Out de 2007, 11:51

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair está "descontente" com a forma como o actual chefe do governo, Gordon Brown, lidera o Partido Trabalhista e com a sua "falta de visão", escreve hoje o jornal The Sunday Times.
    Os políticos mais próximos de Blair revelaram, de acordo com o jornal britânico, que o desagrado do antigo primeiro-ministro deve-se ao facto de Gordon Brown fazer "passar a ideia de que os trabalhistas roubam as ideias políticas aos conservadores", principal partido de oposição.

    Tony Blair, actualmente enviado especial do Quarteto de Paz para o Médio Oriente, considera que ao discurso recentemente proferido por Brown no congresso anual do Partido Trabalhista "faltou conteúdo".

    "Blair sente que Gordon deveria estar a defender o Novo Trabalhismo", disse uma pessoa próxima do antigo primeiro-ministro, citada pelo Sunday Times, em referência à reforma que o actual primeiro-ministro iniciou, no sentido de tornar o partido mais atractivo para o eleitor através do apoio da reforma dos serviços públicos e a melhoria da educação.

    "O problema é que, quando [Brown] fala de mudança, parece querer romper com o passado e com o Novo Trabalhismo", acrescentou a mesma fonte, explicando que o primeiro-ministro britânico "parece querer distanciar-se de Blair em lugar de destacar a sua diferença face ao líder conservador, David Cameron".

    O antigo ministro da Justiça britânico Lord Falconer, também próximo de Blair, pediu a Brown que demonstrasse "a sua visão para o futuro do Reino Unido", sublinhando que este não podia governar exclusivamente com base na experiência.

    "A renovação não advém só de uma mudança de liderança", afirmou Falconer ao Sunday Times, salientando que o desafio actual para os trabalhistas consiste em "deixar clara a visão" do partido.

    Os aparentes descontentamentos em alguns sectores do Partido Trabalhista coincidem com uma nova sondagem, divulgada hoje no Sunday Times, segundo a qual os conservadores aumentaram em sete pontos a diferença face aos trabalhistas.

    A sondagem concede aos conservadores um apoio de 43 por cento - um aumento de cinco pontos relativamente a uma outra consulta, realizada na semana passada -, enquanto os trabalhistas desceram dois pontos, chegando aos 36 por cento.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.