Benfica vira o jogo em Tondela e dá pontapé na crise com regresso às vitórias

Benfica vira o jogo em Tondela e dá pontapé na crise com regresso às vitórias

 

Lusa/Ao online   Futebol   11 de Nov de 2018, 21:11

O Benfica deu este domingo um pontapé na crise de resultados, ao vencer em Tondela, por 3-1, virando o marcador no jogo na 10.ª jornada da I Liga de futebol para encerrar um ciclo de quatro jogos oficiais sem vencer.

Os locais, que acabaram o jogo com nove unidades, abriram o marcador no primeiro minuto, num lance infeliz de Conti, mas os ‘encarnados', mais eficazes num encontro equilibrado, deram a volta ao resultado, graças aos tentos de Jonas (nove), Seferovic (64) e Rafa (75).

O Benfica, provisoriamente terceiro classificado, com 21 pontos, à espera do resultado do Sporting (terceiro, com 20), que recebe o Desportivo de Chaves às 20:00, ganha tranquilidade antes da pausa para as seleções, mas a equipa orientada por Rui Vitória continuou a revelar muitas deficiências em controlar o jogo ofensivo dos adversários.

O Tondela pode queixar-se de si próprio, não só porque David Bruno se fez expulsar num lance infantil, aos 54 minutos, ainda com igualdade no marcador, mas também pelas muitas oportunidades desperdiçadas num encontro em que não foi inferior aos ‘encarnados'.

Pepa foi obrigado a fazer uma mudança face ao ‘onze' que triunfou na semana passada em Santa Maria da Feira (4-2), com a saída de Arango (emprestado pelo Benfica) para a entrada de Sergio Peña, enquanto Rui Vitória operou três alterações à equipa que empatou na receção ao Ajax (1-1), na quarta-feira, em jogo da Liga dos Campeões.

Além dos regressos de Pizzi e Rafa, Conti saltou da bancada - para onde fora arredado durante três jogos depois do erro que contribuiu para a derrota com o Ajax, em Amesterdão (0-1) - para a titularidade, devido ao castigo de Jardel, mas vestiu a pele de ‘vilão' no minuto inicial.

Num relvado ensopado pela chuva que caiu em Tondela ao longo do dia, passavam apenas 41 segundos de jogo quando Xavier pressionou Conti na abordagem a um cruzamento da direita de Jhon Murillo e a bola acabou por ser desviada pelo central benfiquista para a própria baliza, junto ao poste mais distante, sem hipóteses para Vlachodimos.

A instabilidade dos lisboetas - o ciclo de maus resultados incluía duas derrotas seguidas na Liga -ficou patente nos minutos iniciais da partida, com domínio dos locais, mas, ao nono minuto, na sua primeira incursão ofensiva, Jonas, de cabeça, deu a igualdade ao Benfica, após cruzamento de André Almeida.

Após um período de equilíbrio, sem que qualquer das equipas assumisse de forma clara o controlo, o Benfica voltou a criar perigo à passagem dos 28 minutos, quando Rafa, em jogada individual, ultrapassou Joãozinho e atirou cruzado ao poste.

A partida ganhou emoção e as oportunidades repartiram-se até ao intervalo: Ricardo Costa (29) e Rafa (31) desperdiçaram ocasiões flagrantes, antes de Conti se redimir do erro no minuto inicial ao cortar, em cima da linha de baliza, um remate de Jhon Murillo (37).

O Benfica surgiu melhor dos balneários, registando remates perigosos de Cervi (47) e Pizzi (51), e a sua tarefa ficou facilitada após a expulsão do lateral-direito David Bruno, aos 54 minutos, vendo o segundo cartão amarelo por empurrar Cervi já com o jogo interrompido.

Mesmo em superioridade numérica, o Benfica sentiu muitas dificuldades em controlar as transições do Tondela: aos 59 minutos, Xavier, o melhor elemento dos tondelenses, voltou a protagonizar novo momento de perigo, surgindo a cabecear entre os centrais para boa defesa de Vlachodimos.

Aos 64 minutos, Seferovic, que tinha entrado cinco minutos antes, colocou o Benfica em vantagem, a passe de André Almeida, após combinação do lateral com o brasileiro Jonas.

Xavier voltou a desperdiçar de forma incrível, aos 72 minutos, na ‘cara' do guardião ‘encarnado', desviando a bola em demasia e atirando ao lado, e três minutos depois o Benfica mostrou-se mais eficaz, com Rafa a assinar o terceiro golo da sua equipa, a passe de Pizzi.

Aos 84 minutos, o Tondela ficou reduzido a nove unidades, depois do vermelho direto a Ícaro, por entrada imprudente sobre Rafa, mas o resultado final já estava selado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.