Taça UEFA

Benfica vira eliminatória e segue em frente

Benfica vira eliminatória e segue em frente

 

Lusa/AO online   Futebol   2 de Out de 2008, 22:24

O Benfica qualificou-se hoje para a fase de grupos da Taça UEFA em futebol, ao vencer os italianos do Nápoles por 2-0, em encontro da segunda “mão” da primeira eliminatória, disputado no Estádio da Luz, em Lisboa
O Benfica quebrou hoje um jejum de 23 anos sem eliminar equipas italianas nas competições europeias de futebol, ao bater em casa Nápoles por 2-0, garantindo o acesso à fase de grupos da Taça UEFA.
No 80º encontro dos “encarnados” na prova, golos do espanhol José Antonio Reyes (57 minutos), que já tinha marcado na vitória sobre o Sporting para a Liga, e Nuno Gomes (87) garantiram a continuidade nas provas do “velho continente”, após o desaire (2-3) do San Paolo.
A última vez que o Benfica havia eliminado uma equipa italiana foi há mais de duas décadas, mais precisamente na temporada 1985/86, ao bater a Sampdória (2-0 em casa e 0-1 fora), na segunda eliminatória da entretanto extinta Taça das Taças.
O técnico do clube da Luz, o espanhol Quique Flores, fez regressar ao “onze” o defesa central Luisão, que falhou o “derby” frente ao Sporting devido a castigo, e o grego Katsouranis, para o lugar de Carlos Martins, no meio-campo.
Na frente, o treinador “encarnado” colocou a dupla inédita composta por Di Maria e Nuno Gomes, devido aos problemas físicos de Suazo e Aimar, que apesar de convocado nem no banco de suplentes se sentou, e Cardozo, castigado.
Do lado italiano, destaque para a recuperação do argentino Lavezzi, a grande figura do ataque napolitano, que fez dupla com o uruguaio Marcelo Zalayeta.
Depois de um susto inicial, provocado pelo avançado argentino do Nápoles, que aproveitou alguma lentidão de Luisão para se isolar, mas não conseguiu bater Quim, o Benfica assumiu o controlo do jogo e esteve perto de chegar à vantagem na eliminatória.
Primeiro, Di Maria assustou o guarda-redes transalpino, com um remate perigoso, que passou muito perto da baliza do Nápoles (cinco minutos), e, pouco depois, Sidnei, em boa posição dentro da área, não conseguiu acertar no alvo.
Com Yebda e Katsouranis imperiais a meio-campo, e os napolitanos a demonstrarem alguma dureza excessiva, os “encarnados” continuaram a dominar e Di Maria esteve novamente perto de facturar, desta vez com Gianello a responder com boa defesa.
Com o jogador argentino, campeão olímpico em Pequim2008, a descair demasiado para as alas, o Benfica acabou por perder algum fulgor no ataque, ficando Nuno Gomes muito só perante o trio de defesas centrais italianos.
Perto do intervalo, o Nápoles esteve perto de “gelar” o “inferno” da Luz, quando Paolo Cannavaro, irmão de Fábio, acertou no poste da baliza de Quim, após uma lance de bola parada.
No regresso dos balneários, o Benfica, apesar de demonstrar alguma ansiedade, ao efectuar alguns passes falhados, chegou ao golo, aos 57 minutos, através de Reyes que fuzilou Gianello, após excelente abertura de Katsouranis.
Em desvantagem na eliminatória, o Nápoles ficou abalado com o tento sofrido, e, pouco depois, Di Maria esteve perto de aumentar a vantagem para o clube de Luz, em jogada individual que acabou com defesa do guarda-redes italiano.
Com o Benfica novamente no controlo da partida, e sem que os italianos conseguissem incomodar Quim, Nuno Gomes confirmou a passagem dos “encarnados” à fase de grupos da Taça UEFA, a sete minutos do final, com um excelente cabeceamento a um centro de Carlos Martins, que tinha substituído Ruben Amorim.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.