Liga Europa

Benfica em Zagreb, com poupanças, para começar 'aproximação' aos 'quartos'

Benfica em Zagreb, com poupanças, para começar 'aproximação' aos 'quartos'

 

Lusa/Ao online   Futebol   5 de Mar de 2019, 12:49

O Benfica, em alta depois do 2-1 de sábado na casa do FC Porto, desloca-se na quinta-feira ao reduto do Dinamo Zagreb, previsivelmente com poupanças, para tentar a aproximação aos quartos de final da Liga Europa.

Face à qualidade do plantel, ao coletivo e ao individual, à história e ao presente, o conjunto luso parte como favorito, mas perante um conjunto que, com tudo quase resolvido em ‘casa’, tem as atenções direcionadas para esta eliminatória.

Pelo contrário, os ‘encarnados’ têm como principal objetivo a reconquista do título nacional e não estarão, certamente, na máxima força em casa dos quase bicampeões croatas, como já não estiveram na eliminatória anterior.

Os novos líderes da I Liga mostraram, porém, ter soluções para ‘tocar os dois instrumentos’ e o treinador do conjunto da Luz vai, como toda a certeza, voltar a rodar a equipa, como fez, com sucesso, na casa do Galatasaray, vencendo então por 2-1.

Bruno Lage revolucionou o ‘onze’, apostando em Corchia (em vez de André Almeida), Yuri Ribeiro (Grimaldo), Florentino (Samaris), Gedson (Gabriel), Salvio (Pizzi) e Cervi (Rafa), mantendo apenas o guarda-redes, os centrais e os avançados.

As mudanças poderão ser semelhantes, em número, sendo provável que entre os ‘sobreviventes’ da equipa habitual esteja, desta vez, o médio Gabriel, que foi expulso no Dragão e não pode jogar na segunda-feira na receção ao Belenenses, para o campeonato.

De resto, Vlachodimos, único totalista na Europa (12 jogos na Europa e um total de 1.080 minutos), também deve manter-se, tal como os centrais Rúben Dias e Ferro, face às lesões do ‘capitão’ Jardel e de Conti.

Com muito por onde escolher, mesmo tendo em conta que também Fejsa e Salvio estão lesionados, são muitas as possibilidades, sendo certo, porém, que, em Zagreb, surgirá sempre um ‘onze’ forte e capaz de lutar por um bom resultado.

Em 14 jogos com Lage, o Benfica soma 12 vitórias, mais um ‘nulo’ caseiro com o Galatasaray, que valeu um lugar nos ‘oitavos’ da Liga Europa, e um desaire por 3-1 com o FC Porto, nas meias-finais da Taça da Liga, ‘esquecido’, certamente, com o 2-1 de sábado.

Os ‘encarnados’ estão num grande momento, mas vão enfrentar uma equipa igualmente moralizada, que lidera destacada o campeonato croata, rumo ao segundo título consecutivo, ao 13.º em 14 anos e 20.º nos 28 anos da Croácia, pós o fim da Jugoslávia, e está também nas meias-finais da Taça da Croácia.

Na Europa, os comandados de Nenad Bjelica ultrapassaram pela primeira vez uma fase de grupos, depois de sucessivas eliminações na Liga dos Campeões e na Liga Europa, e também afastaram o Viktoria Plzen, mas o técnico já reconheceu que o Benfica será o adversário mais complicado que já enfrentaram em 2018/19.

Os croatas, que começaram na Liga dos Campeões, mas caíram no ‘play-off’, face aos suíços do Young Boys, têm em Mislav Orsic e no bósnio Izet Hajrovic, ambos com três golos, os seus melhores marcadores na campanha na Liga Europa.

O encontro entre o Dínamo Zagreb e o Benfica, da primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa, realiza-se na quinta-feira, pelas 17:55 (em Lisboa), no Estádio Maksimir, com capacidade para pouco mais de 37.000 espetadores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.