BE questiona Governo Regional sobre processo da nova fábrica da Cofaco no Pico

BE questiona Governo Regional sobre processo da nova fábrica da Cofaco no Pico

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   30 de Out de 2018, 18:15

O Bloco de Esquerda quer saber se a Cofaco, situada na Madalena do Pico, já concretizou o aumento de capital social da empresa “PDM - Transformação e Comércio de Pescado”, do qual dependia a aprovação do projeto de construção da nova fábrica da Cofaco na ilha do Pico.

Num requerimento enviado à Assembleia Legislativa dos Açores, os bloquistas recordam que “em fevereiro de 2018, o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia anunciou que a aprovação do projeto para a nova fábrica da Cofaco na ilha do Pico, estava dependente de um aumento do capital social da empresa “PDM, Transformação e Comércio de Pescado, Lda”, no valor de 1 milhão de euros, por forma a cumprir a regulamentação dos apoios do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas”. Na mesma ocasião, o secretário regional referiu que a “Cofaco tinha um prazo de apenas 10 dias para dar resposta a esta questão, e que o licenciamento da nova fábrica seria possível em menos de um mês”.


Tendo em conta que desde então não “houve qualquer nota pública por parte do Governo Regional, nem por parte da Cofaco, sobre os desenvolvimentos deste processo, o BE pergunta ao secretário regional do Mar se o referido aumento de capital social chegou a ser concretizado, e se se mantém a previsão de inauguração da nova fábrica para janeiro de 2020”.


Recorde-se que o encerramento da fábrica da Cofaco do Pico deixou 180 trabalhadores em situação de desemprego, tendo sido anunciado pelo administrador da Cofaco, em sede de comissão, que estes trabalhadores seriam contratados para a nova fábrica, cujo número de postos de trabalho poderia chegar a 250.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.