Açoriano Oriental
BE/Açores denuncia aumento de preços em alguns produtos na ilha das Flores

O líder do BE/Açores, António Lima, mostrou-se preocupado com o aumento de preços de alguns produtos alimentares que se está a verificar nas Flores, devido às dificuldades no abastecimento de mercadorias à ilha.

article.title

Foto: BE/A
Autor: Lusa/AO Online

"Houve a preocupação de algumas pessoas que, efetivamente, verificaram que havia preços consideravelmente superiores em alguns produtos" explicou o deputado bloquista.

António Lima falava aos jornalistas no final de uma visita às Flores e deu como exemplo artigos de supermercado que surgiram nas prateleiras com preços muito acima do habitual, devido à escassez de bens descarregados na ilha.

Desde o furacão “Lorenzo”, que atravessou o arquipélago na madrugada de 02 de outubro, que os navios porta-contentores, que antes escalavam a ilha de 15 em 15 dias, estão impedidos de atracar no porto das Lajes das Flores, destruído pela forte ondulação que se verificou, naquela ocasião, superior a 20 metros.

O carga e descarga de contentores é assegurada, desde então, pelos navios da empresa Transportes Marítimos Graciosenses, que conseguem atracar num porto interior, mais pequeno, mas que estão longe da capacidade de transporte de contentores necessária para satisfazer o comércio local.

Alguns comerciantes a retalho e distribuidores de mercadorias nas Flores já tinham admitido, esta semana, em declarações à Lusa, poder vir a encerrar os seus estabelecimentos comerciais, devido à grande quebra de vendas e à chegada tardia de mercadoria, alguma da qual já fora de prazo de validade.

O líder regional do BE admite que o empolamento de preços agora verificado possa ser "pontual" e que resulte do aumento dos custos com o transporte de mercadorias para a ilha, mas apelou às entidades inspetivas regionais para que estejam atentas a esta situação.

António Lima exige também que o Governo Regional crie um calendário de atuação e informe os florentinos sobre os próximos passos a dar, lamentando que haja pouca informação sobre as diligências e iniciativas do executivo socialista, com vista a repor a normalidade do abastecimento de mercadorias na ilha.

Os bloquistas açorianos alertaram também para o facto de a destruição que hoje se verifica no porto das Lajes das Flores, pode vir a ocorrer, no futuro, em qualquer outro porto do arquipélago, sempre que se verifiquem condições climatéricas extremas, como as que ocorreram por altura da passagem do furacão.

Por isso, apela ao Governo para que crie "planos de emergência" em todas as ilhas, no sentido de precaver eventuais problemas de abastecimento noutras parcelas da região.

Em menos de uma semana, os deputados do PSD, do PS e do BE visitaram a ilha das Flores, para reunir com os empresários e instituições locais e para se inteirarem dos problemas e dificuldades no abastecimento de mercadorias à ilha.

Durante a passagem do “Lorenzo” pelos Açores foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas.

O furacão causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, estimando-se que o prejuízo registado “possa ascender a mais de 190 milhões de euros.

No total, o mau tempo provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros no arquipélago, segundo o Governo Regional dos Açores, presidido pelo socialista Vasco Cordeiro.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.