Autor dos atentados de 1995 em Paris condenado a prisão perpétua


 

Lusa / AO online   Internacional   13 de Out de 2009, 17:25

O Tribunal Especial de Paris condenou a prisão perpétua o islamita argelino Rachid Ramda pelo envolvimento em três atentados perpetrados em 1995 na capital francesa.
Ramda, presente na audiência, reagiu à leitura da sentença, gritando três vezes "Alá é grande" e levantando o punho.

O cidadão argelino já tinha sido condenado em 2007 à pena máxima em tribunal de primeira instância e a confirmação da sentença foi solicitada segunda-feira pelo Ministério Público francês.

Durante a audiência, Ramda, 40 anos, leu uma declaração em árabe, na qual rejeitou o seu envolvimento nestes atentados "proibidos pelo Islão".

"Senhor Presidente, sabe que sou inocente (...). O governo francês oprimiu-me e tentou ligar-me a todas estas acusações", declarou.

Detido em Londres em 1995, Ramda sempre negou ter sido o "financiador" dos três atentados.

O primeiro ataque ocorreu a 25 de Julho desse ano na estação de metro de Saint-Michel, provocando a morte de oito pessoas e ferimentos em 150.

Os outros dois atentados, perpetrados em Outubro do mesmo ano, tiveram como alvo as estações Maison-Blanche e Museu d'Orsay e fizeram dezenas de feridos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.