Austeridade em Itália avaliada a cada três meses pelo FMI e Comissão Europeia - Van Rompuy


 

Lusa/ AO online   Economia   4 de Nov de 2011, 16:11

O Fundo Monetário Internacional e a Comissão Europeia vão avaliar a cada três meses a implementação do plano de austeridade em Itália, juntamente com o ministro das Finanças italiano, afirmou hoje o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

“A Itália convidou o Fundo Monetário Internacional a avaliar juntamente com o ministro das Finanças, Tremonti, a implementação do plano a cada três meses no contexto da missão de monitorização”, afirmou o líder europeu aos jornalistas à margem da reunião do G20 em Canes, França.

Van Rompuy acrescenta no entanto que também a Comissão Europeia foi chamada para acompanhar o processo, dizendo apenas que “acima de tudo, foi dada a missão à Comissão Europeia de avaliar em detalhe o que tem sido feito”.

“Tudo isto é extremamente importante de forma a reforçar a credibilidade das medidas que foram anunciadas”, disse o responsável, rejeitando que os líderes europeus tenham colocado a Itália ‘entre a espada e a parede’, pelo contrário, terão sido convidados pelas autoridades a ajudar.

“Nós não colocamos a Itália entre a espada e parede, de forma alguma. (…) Eles [responsáveis italianos] é que se propuseram a convidar o Fundo Monetário Internacional para fazer uma espécie de monitorização, e nós já decidimos no conselho Europeu sobre a monitorização da Comissão Europeia, que é a mais fundamental”, disse o responsável, sublinhando que a situação italiana é “completamente diferente” da grega.

A diretora-geral do FMI também já saudou o pedido do Governo italiano para uma "vigilância intensificada" do FMI, acrescentando que chegará a Roma uma equipa do FMI ainda antes do final do mês.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.