Aumento da taxa de desemprego nos Açores exige análise cuidada

Aumento da taxa de desemprego nos Açores exige análise cuidada

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Nov de 2013, 11:24

O presidente do Governo dos Açores disse que o aumento da taxa de desemprego no arquipélago exige uma análise cuidada para perceber a sua origem, assegurando que a matéria concentra toda a atenção do executivo regional.

"A forma como temos de olhar para esses números é uma análise de muito cuidado. Aliás, retirar a lição, ler esses números no sentido de perceber o que é que eles significam. Perceber por que é que isso acontece, porque é que há o aumento desta taxa, de que é que ela resulta, se é uma situação em que há destruição de postos de trabalho, se é uma situação em que há sobretudo a entrada de mais gente no mercado de trabalho", afirmou aos jornalistas em Ponta Delgada.

A taxa de desemprego nos Açores subiu para 17,7% no terceiro trimestre do ano, sendo agora a segunda mais alta do país e superior à média nacional. Segundo os mesmos números, revelados pelo Instituto Nacional de Estatística na quinta-feira, o número de pessoas empregadas nos Açores aumentou em 764 em relação ao trimestre anterior, mas o aumento do número de desempregados foi superior (mais 2.488 desempregados).

"Percebo e compreendo, naturalmente, que para uma família que é afetada pelo drama do desemprego estas considerações não relevam particularmente (...), mas o que gostava de realçar é que, em primeiro lugar, as medidas que temos colocado em funcionamento têm conduzido à criação de emprego", acrescentou Vasco Cordeiro, destacando por outro lado que "este continua a constituir um objetivo prioritário para o Governo Regional”.

Vasco Cordeiro sublinhou que os números apontam "fundamentalmente" para a necessidade de "acelerar, de criar mais rapidamente as condições em que a economia açoriana possa também ela mais rapidamente criar emprego".

"No último trimestre foram criados mais de 700 postos de trabalho, de acordo com esses números. Se juntarmos esse número aos do segundo trimestre de 2013, estamos a falar em cerca de 2.500 postos de trabalho criados, mas isso não é suficiente porque só no último trimestre tivemos 3.500 pessoas a entrarem no mercado trabalho", afirmou, no final de uma audiência ao embaixador da Argentina em Portugal.

A população ativa nos Açores aumentou no terceiro trimestre em 2,7%, mais 3.252 pessoas, o que, segundo destacou o Governo Regional na quinta-feira, representa o maior número de sempre.

Segundo o INE, em relação ao mesmo período de 2012, a taxa de desemprego nos Açores foi a que mais aumentou no país (2,3 pontos percentuais), sendo por outro lado a única que cresceu em comparação com o trimestre anterior (1,6 pontos percentuais).

A nível nacional, a taxa de desemprego em Portugal foi de 15,6% no terceiro trimestre, 0,8 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior e menos 0,2 pontos que no mesmo período de 2012.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.