Associados da DECO satisfeitos com compras na Internet

Associados da DECO satisfeitos com compras na Internet

 

Lusa/AO Online   Economia   17 de Dez de 2013, 05:18

Um inquérito realizado pela DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor a 1.432 associados concluiu que o nível de satisfação de compras através da Internet é elevado.

De acordo com o estudo, que será publicado na próxima edição da PROTESTE, "apenas 18% [dos inquiridos] nunca comprou produtos ou serviços pela Internet" e entre os que fazem "as reservas de hotéis são o serviço mais procurado, logo seguido pelos produtos de eletrónica".

Quase metade dos inquiridos (46%) disse fazer reservas de hotéis pela Internet, seguido de compras de produtos eletrónicos (41%) e de vesutário, calçado e acessórios (36%).

Neste estudo, a DECO procurou conhecer a satisfação dos inquiridos com as páginas de lojas virtuais onde fizeram mais compras nos 12 meses anteriores ao preenchimento do questionado, tendo recebido resultados suficientes para 10 sítios.

A britânica Amazon e a livraria digital portuguesa Wook foram as "mais apreciadas".

Este nível de satisfação deve-se ao "aspeto, facilidade de utilização, funcionamento e informação disponível" daquelas duas lojas virtuais, de acordo com o inquérito.

Em termos de menor satisfação, ficaram a LetsBonus (loja de descontos), o Continente (hipermercado 'online') e o Groupon (loja de descontos).

No que respeita à segurança nas compras na Internet, 70% dos inquiridos evitam o uso de um computador público, com 68% a usar um antivírus.

Em relação ao que pensam os compradores 'online', a DECO refere que na altura de pagar 43% dos inquiridos pensa que o pagamento não é seguro, embora só 1% tenha registado problemas.

Já em termos da chegada do produto comprado, 18% dos inquiridos consideram que este vem danificado, mas apenas 3% registaram um problema neste âmbito, com quase metade dos inquiridos (48%) a pensar que é difícil a sua devolução.

Mais de metade considera que é difícil reclamar do produto, mas só 3% registaram problemas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.