Açoriano Oriental
André Ventura anuncia candidatura à Presidência da República

O presidente do Chega, André Ventura, anunciou este sábado que vai candidatar-se a Presidente da República nas eleições de janeiro de 2021 num vídeo divulgado pela TVI24.

article.title

Foto: TIAGO PETINGA/LUSA
Autor: AO Online/ Lusa

No vídeo, Ventura afirma que não irá suspender o mandato de deputado à Assembleia da República, admite perder a candidatura presidencial, mas garante que vai "travar uma luta com grande dignidade".

O deputado justifica a entrada na corrida a Belém com "o silêncio" do atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, face aos "grandes problemas" que Portugal enfrenta.

"Marcelo Rebelo de Sousa é a face deste sistema: Nasceu no sistema, cresceu com o sistema e defende este sistema. Nós somos precisamente o oposto. Podemos não ganhar, mas vamos travar uma luta com grande dignidade", enfatiza, no vídeo enviado a dirigentes e militantes do partido, divulgado hoje pela TVI24.

O líder do Chega critica "o silêncio" de Marcelo sobre "assuntos que são caros ao Chega", apontando os casos de Tancos, do combate à corrupção, as condições de trabalho das forças de segurança e as dificuldades do Ministério Público na investigação de políticos.

Apesar da candidatura, Ventura afirma que irá manter-se no parlamento "com a mesma intensidade e a mesma garra", admitindo que foram contactadas outras personalidades e que esta não era a sua "opção principal" para este ano.

No vídeo, de 05:41, André Ventura disse que irá manter-se na liderança do Chega, mas não esclarece se terá ou poderá vir a ter o apoio formal do partido, cujo conselho nacional se dividiu em janeiro quanto à candidatura presidencial do deputado.

Em 11 de janeiro, na Nazaré, distrito de Leiria, os membros do conselho nacional do partido dividiram-se quanto a uma candidatura de Ventura a Belém, remetendo uma decisão da sua parte para fevereiro, o que aconteceu hoje.

O líder do Chega, André Ventura, admitiu hoje que o partido está divido em relação à sua eventual candidatura à Presidência da República e remeteu para fevereiro o anúncio da decisão final.

“Ficou claro que não há unanimidade dentro do partido, entre os conselheiros nacionais, em relação a uma eventual candidatura minha à Presidência da República”, admitiu, no final do encontro, em que, segundo afirmou, ficou claro que "o Chega não coloca a hipótese de apoiar a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa”.

O perfil do candidato “terá que ser o de alguém claramente antissistema, claramente para pôr o dedo na ferida nos processos anti-corrupção, nos processos de falta de transparência e nos processos de verdadeiro saque em que está o estado democrático hoje”, concluiu André Ventura, em janeiro.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.