Álbum "Nevermind", dos Nirvana, faz vinte anos


 

Lusa/AO Online   Internacional   20 de Set de 2011, 07:40

Vinte anos depois de ter marcado uma geração e de ter dado visibilidade a "uma nova interpretação do que é o rock", o álbum "Nevermind", do grupo norte-americano Nirvana, volta a ser editado numa versão de luxo.

Para assinalar a efeméride, na próxima semana são lançadas em todo o mundo quatro edições remasterizadas deste álbum dos Nirvana, editado a 24 de setembro de 1991.

Além das 12 canções, como "Come as you are" e "Smells like teen spirit", a reedição inclui faixas inéditas, raridades, gravações ao vivo e um DVD com um concerto inédito.

"Nevermind", segundo disco dos Nirvana, que apresenta na capa um bebé numa piscina a olhar para uma nota de dólar, vendeu mais de 30 milhões de cópias nestes vinte anos.

O álbum foi produzido por Butch Vig e interpretado por Kurt Cobain (vocalista e guitarrista), Krist Novoselic (baixista) e Dave Grohl (baterista, hoje líder dos Foo Fighters).

Kurt Cobain morreria três anos depois, aos 27 anos.

Hoje, vinte anos passados e depois de muitas bandas rock terem surgido influenciadas pelos Nirvana, o baixista do trio de Seattle, Krist Novoselic, que ajudou a organizar esta reedição de luxo, vai juntar-se na terça-feira a músicos daquela cidade para tocar ao vivo o álbum.

No concerto, além de Novoselic, irão atuar também os Fastbacks, Long Winters, Vaporland, Visqueen, Campfire OK, Valis (de que fazem parte membros dos Screaming Trees) e Ravenna Woods, entre outros.

Em entrevista à revista Billboard, Krist Novoselic disse que em 1991 "Nevermind" foi editado "no lugar certo, no momento certo. Foi o disco certo".

"Deu cabo daquilo que se chamava 'música alternativa', que é um rótulo que nunca gostei. Mesmo 'grunge' é melhor do que 'música alternativa'. Não havia alternativa. Era uma nova onda do rock. Era uma nova interpretação e estilo da música rock", disse.

Em 2005, o álbum passou a fazer parte oficialmente dos registos fonográficos dos Estados Unidos a preservar, pela importância "cultural, histórica e estética" para as gravações do século XX.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.