Congresso da APAVT arranca hoje em Angra do Heroísmo

Congresso da APAVT arranca hoje em Angra do Heroísmo

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Dez de 2013, 16:52

O 39.º Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, que começa hoje em Angra do Heroísmo, vai reunir mais de 500 pessoas focadas em debater as mudanças de atitude que o Turismo necessita.

 

Em declarações à Lusa, o presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Pedro Costa Ferreira, mostrou-se satisfeito com a afluência no evento, já que as mais de 500 pessoas que farão parte do Congresso - entre participantes e agentes de viagens - "ultrapassam o número da história recente" destes encontros anuais que a APAVT realiza.

Para o responsável, esta é mais uma prova de que em momentos de dificuldades, tendo em conta que Portugal continua sob um programa de assistência financeira, "as pessoas unem-se e o associativismo tende a fazer-se sentir mais".

O tema genérico escolhido para o Congresso deste ano, que vai decorrer até domingo em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, Açores, é 'Turismo: Novos Rumos, Outra Atitude'.

"No Congresso fazemos um balanço turístico anual. Fazemos um ponto de situação, abordamos as dificuldades e os desafios do setor, mas como um todo e há um denominado comum: não se pode falar de crise de forma isolada. Temos consciência de que o que está a acontecer é uma alteração radical das circunstâncias de vida dos portugueses, daí que seja necessário uma mudança [de atitude], é isso que pretendemos debater", explicou o responsável.

Uma das questões que Pedro Costa Ferreira espera que volte a ser debatida é o papel do Estado na vida das empresas.

"Temos que exigir ao Estado que saia da frente dos empresários, mas os empresários também não podem continuar a pedir ao Estado todas as soluções", começa por explicar o responsável, acrescentando que é cada vez mais premente que os "empresários do setor, de toda a cadeia de valor, assumam que para pedirem um Estado facilitador também têm eles que ser capazes de resolver os seus próprios problemas".

"O Estado já não tem uma mão grande e é bom que assim seja", sublinhou ainda o presidente da APAVT.

Já sobre a escolha do local para este Congresso, as expectativas são de que "seja dado um ênfase especial" aos Açores.

"Esperamos que todos saiam dos Açores conhecendo melhor a região. É importante perceber as fragilidades e as forças do Turismo dos Açores (...), para que esta região venha a beneficiar também da presença do Congresso", referiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.