Açoriano Oriental
Covid-19
Açores registam primeira cadeia de transmissão secundária

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores revelou que foi detetada uma cadeia de transmissão secundária de covid-19 na ilha de São Miguel, o que motivou a criação de cercas sanitárias em todos os concelhos da ilha.

Açores registam primeira cadeia de transmissão secundária

Autor: Lusa/AO Online

"Já detetámos efetivamente anteriormente duas cadeias de transmissão primárias no concelho da Povoação, uma delas já detetámos que, entretanto, passou a transmissão secundária e implementámos este cordão sanitário em toda a ilha, de maneira que evitemos essa disseminação e propagação e passemos para uma transmissão comunitária”, afirmou o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Desde o passado domingo que o concelho da Povoação já tinha um cordão sanitário, devido à existência de duas cadeias de transmissão local primárias, cuja origem ainda não tinha sido identificada pelas autoridades de saúde.

“Como nós detetámos aquelas duas cadeias de transmissão primárias e como não tínhamos ainda real perceção do foco que terá originado uma das cadeias, decidimos por bem evitar a propagação dessa cadeia de transmissão primária, para que não passasse a secundária, terciária e eventualmente comunitária e implementámos logo um cordão sanitário no concelho”, reiterou Tiago Lopes.

Após vários dias de investigação epidemiológica e feitas várias análises laboratoriais, a Autoridade de Saúde Regional detetou a origem de uma delas numa viagem ao exterior do arquipélago e da outra num contacto com um turista.

“Já sabemos em rigor como é que foi originada, foi através de um cidadão estrangeiro, que esteve alojado numa unidade hoteleira no concelho da Povoação, que já estava infetado e foi diagnosticado em território continental, e que por essa via infetou um dos residentes do concelho da Povoação”, adiantou Tiago Lopes.

Esse residente acabou por infetar o agregado familiar, incluindo dois profissionais de saúde, que transmitiram a infeção a três colegas, em contexto laboral, no concelho de Ponta Delgada, criando uma cadeia de transmissão secundária.

Nas restantes ilhas, mantêm-se apenas duas cadeias de transmissão local primária, uma na ilha Terceira e outra na ilha do Pico, mas nos dois casos foram feitos testes a contactos próximos, que tiveram resultado negativo e que indicam que a situação estará contida.

Ainda assim, o responsável da Autoridade de Saúde Regional alertou para o facto de os Açores estarem “na iminência” de passarem de uma fase de contenção para uma fase de mitigação.

“Toda a preparação que nós temos estado a fazer é precisamente para antever a entrada na fase da mitigação. Não estamos, em bom rigor, totalmente nessa fase. O nível de alerta e de resposta que está previsto para entrar na fase de mitigação pressupõe a transmissão local e em ambiente fechado. Estamos a averiguar todos os casos positivos que tivemos por forma a apurar com efetividade essa situação”, frisou.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.