Açoriano Oriental
Açores querem potenciar turismo cultural associado à vertente natureza
A Associação Regional de Turismo (ART) dos Açores defende que o arquipélago tem potencialidades por explorar no âmbito do turismo cultural, considerando que se devem criar pacotes que associem esta vertente ao turismo de natureza.
Açores querem potenciar turismo cultural associado à vertente natureza

Autor: Lusa/AO online

“O nosso objetivo é que o nosso património cultural seja uma motivação primária para a escolha dos Açores como destino de férias e temos condições para isso”, salientou, em declarações à Lusa, o diretor executivo da ART, José Toste.

O turismo cultural é o tema da quarta edição das jornadas de reflexão promovidas pela ART este ano, em parceria com o Instituto Açoriano de Cultura, um evento que decorre até sábado em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Segundo José Toste, a ART vai lançar neste encontro uma proposta para que os operadores turísticos e agentes de viagem trabalhem “o produto do ‘touring’ cultural e paisagístico”, num pacote que junte a paisagem dos Açores com o turismo cultural, conciliando também outros setores, desde a restauração à animação turística.

O diretor executivo da ART reconheceu que será difícil “convencer os operadores a desviarem-se do modelo que já têm instalado”, mas frisou que a criação de um pacote alternativo permitiria “valorizar a imagem dos Açores”.

“Para os nossos agentes de viagens há aqui um filão por explorar, que é criar diferentes rotas e itinerários temáticos”, sugeriu, em alternativa aos pacotes vendidos como “meia volta ou volta à ilha”.

José Toste considerou que o património cultural dos Açores, tanto o material como o imaterial, é “vasto, rico e variado”, apontando como exemplos os monumentos, as festas do Espírito Santo, a tradição baleeira, os queijos e o vinho.

“O próprio facto de haver dois sítios património mundial nos Açores, num espaço territorial tão pequeno, também é sinónimo desta riqueza”, frisou, referindo-se à classificação da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Ciência, a Educação e a Cultura atribuída ao centro histórico de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, e à paisagem da cultura da vinha, na ilha do Pico.

O represente da ART sublinhou ainda que o perfil do turista que escolhe um destino por motivos culturais “interessa aos Açores” e explicou que “normalmente são famílias sem filhos aos seus encargos, reformados, pessoas com algum grau de educação e da classe social média-alta”.

Para José Toste, os recursos já existem, falta apenas a “organização da oferta”, que a associação procura incentivar nas IV Jornadas de Reflexão de Animação Turística, onde vão estar reunidas cerca de duas centenas de empresários dos Açores ligados ao setor.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.