"Abastecimento ao Corvo está garantido desde o primeiro momento"

"Abastecimento ao Corvo está garantido desde o primeiro momento"

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   24 de Out de 2019, 17:02

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas garantiu, esta quinta-feira, que o abastecimento ao Corvo está assegurado desde o primeiro momento, após a passagem do furacão Lorenzo.

Ana Cunha, em declarações aos jornalistas à margem da visita do Governo à Terceira e na sequência das declarações do deputado do PPM sobre alegadas falhas no abastecimento à ilha do Corvo, assegurou que o executivo açoriano trabalha, desde o primeiro momento, para garantir o abastecimento ao Grupo Ocidental.


Segundo refere nota do executivo regional, no caso do Corvo, "onde o porto não apresentou danos, ao contrário do que se verificou nas Lajes das Flores, o Governo, desde o primeiro momento, delineou a estratégia de a ilha ser abastecida diretamente a partir do Faial, com uma embarcação da empresa Barcos do Pico”, afirmou a titular da pasta dos Transportes, acrescentando que esse abastecimento está a ser efetuado atualmente pelo navio Lusitânia, “com uma ligação semanal".



A secretária regional adiantou ainda que “a última viagem realizou-se no passado dia 17 e esta semana não se realizará devido às condições meteorológicas", prevendo-se que a próxima viagem se realize já no dia 30 ou 31 de outubro.



Ana Cunha frisou que, “a par disso, há uma monitorização permanente e constante das existências, quer ao nível dos bens necessários na ilha, quer ao nível dos combustíveis".


"Ao nível dos bens, essa monitorização é feita pela Direção Regional de Apoio ao Investimento e Competitividade, ao nível dos combustíveis é feita pelo Fundo Regional de Coesão e, por exemplo, neste momento, podemos assegurar que existe combustível suficiente na ilha para, no caso da gasolina, mais 10 dias, e, no caso do gasóleo verde e não só, de 15 a 17 dias”.


Esta monitorização “é feita ao dia, para que nada falte aos Corvinos e para que nada falte na ilha do Corvo”, disse.


A secretária regional sublinha, na mesma nota, que o deputado Paulo Estevão, do PPM, "ao contrário de outras entidades da ilha do Corvo, como o presidente da câmara e outros representantes com responsabilidades, nunca me contactou".


"Mas quero aqui deixar claro que estou totalmente disponível para me sentar com ele, para lhe explicar o que é que está implementado e para que ele colabore no sentido de tranquilizar as pessoas, porque dizer, como ele diz, que o abastecimento não está segurado e que faltam bens essenciais, causa alarmismo nas populações, injustificado, e não é isso que nós queremos todos, de certeza".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.