A poesia é “uma das apostas” da editora Guerra e Paz em 2019


 

Lusa/Ao online   Nacional   29 de Dez de 2018, 18:37

A poesia é "uma das apostas" da editora Guerra e Paz para 2019, com a estreia da luso-angolana Tchiangui Cruz, com a obra "Guardados numa Gaveta Imaginária", e a publicação de um livro Howard Altmann, foi divulgado este sábado.

Sobre as novidades livreiras para o próximo ano, a editora, liderada por Manuel S. Fonseca, afirma que "a poesia será uma das apostas da Guerra e Paz para 2019", e refere as obras "Guardados numa Gaveta Imaginária", a publicar no próximo dia 15 de janeiro, e "Enquanto Uma Fina Neve Cai", nas livrarias a 05 de fevereiro, do canadiano Howard Altmann, atualmente a viver em Nova Iorque.

Altmann foi um dos autores selecionados pelo jornal britânico The Guardian, em 2018, para a rubrica "o poema da semana" ("As Gaivotas", "Budapeste 1944"), e a sua poesia surge em Portugal numa edição bilingue, traduzida por Eugénia de Vasconcellos.

O novo ano editorial da Guerra e Paz abre no dia 03 de janeiro, com a publicação de três títulos: um romance, centrado em refugiados da II Guerra Mundial, um livro de memórias de Angola, durante a presidência de Agostinho Neto, e um ensaio do filósofo francês Michel Serres.

O romance "O Cais das Incertezas", de José Alberto Salgado, tem como contexto a II Guerra Mundial (1939-1945), relatando a história de "duas mulheres judias que tentam, em Portugal, escapar à perseguição nazi".

Outra obra é "São Paulo, Prisão de Luanda", de Carlos Taveira, "um livro de memórias de um preso político em São Paulo, a mais cruel e severa prisão de Angola durante a ditadura de Agostinho Neto".

"Quatro décadas depois, o tabu do golpe de Estado de 1977 [em Angola], que roubou a vida a milhares de opositores ao regime netista, entre eles José Van Dúnem, volta à ordem do dia", refere a mesma fonte.

Agostinho Neto (1922-1979) foi o primeiro Presidente da República Popular de Angola, após a independência de Portugal a 11 de novembro de 1975, tendo liderado os destinos do novo país até à sua morte, aos 56 anos, em setembro de 1979.

Na sua coleção "Livros Vermelhos", a Guerra e Paz volta a publicar uma obra do filósofo francês Michel Serres, desta feita "Tempo de Crises", um "ensaio que expõe a urgência de inovar após ultrapassarmos uma crise, seja ela económica, social, ambiental ou política".

Em maio deste ano foi publicado deste mesmo autor, e também nesta coleção, "Antes é que era Bom!".

No dia 05 de fevereiro é publicado o novo título de Jorge Tinoco, "A Deslumbrada Vida de João Novilho", que apresenta "um retrato irónico e cruel da vida autárquica e do deslumbramento de quem assume esse poder".

Jorge Tinoco tinha publicado, em 2010, o romance "O Mar de Paula".

"Declarações de Guerra", o novo romance de Vasco Luís Curado, é publicado a 19 de fevereiro. Segundo a editora, este "romance irá despertar-nos com um grande livro de recolha de trágicos e pungentes testemunhos de 50 soldados da Guerra Colonial", empreendida por Portugal, na década de 1960.

Vasco Luís Curado publicou, em 1999, um livro de contos, "A Casa da Loucura", ao qual se seguiu o romance "O Senhor Ambíguo" (2001) e tem publicado contos na revista Bang!. Psicólogo clínico, pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa, nasceu em 1971, e trabalhou durante dez anos num hospital militar. Em 2000, publicou a sua tese de mestrado na área da psicopatologia, "Sonho, Delírio e Linguagem".

Entre os próximos projetos editoriais da Guerra e Paz, estão os "novos livros de José Jorge Letria, em 'Os Vencidos da História', e de dois linguistas, Marco Neves com '100 Expressões Deliciosas do Português', e uma nova obra de Fernando Venâncio, sem título ainda, que sairá em maio".

A editora destacou um livro de fotografia de Inácio Ludgero, "O Livro dos Livros", com textos de José Pacheco Pereira e José Jorge Letria. Uma obra que "conta com fotografias extraordinárias de bibliotecas e livrarias de Portugal e do mundo", e que será publicada também em maio, segundo a mesma fonte.

A Guerra e Paz, editora fundada há 12 anos, "aposta" igualmente nos "livros práticos", em 2019, com uma obra do veterinário Nuno Paixão, "no qual poderemos encontrar tudo o que precisamos saber sobre a saúde e o bem-estar dos nossos cães e gatos". Um livro "ainda sem título, e que sairá a 06 de março".

Verificar-se-á também "o regresso dos livros de pedagogia de Jorge Rio Cardoso" com "Nova Escola para Portugal", a editar a 07 de maio.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.