Zapatero proclamado candidato socialista às eleições espanholas de Março 2008


 

LUsa / Ao online   Internacional   25 de Nov de 2007, 15:59

O chefe de Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, foi hoje oficialmente proclamado e aclamado, perante mais de sete mil pessoas, candidato do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) às eleições previstas para 29 de Março de 2008.
    Perante praticamente toda a cúpula dirigente dos socialistas, Zapatero aceitou a nomeação e prometeu manter na próxima legislatura a linha de actuação do governo, recordando os avanços económicos, sociais e políticos conseguidos desde Março de 2004, quando foi eleito pela primeira vez, numa altura em que a sua eleição não era esperada.

    Reunidos em Fuenlabrada, nos arredores de Madrid, os militantes do PSOE recordaram os momentos essenciais dos últimos quatro anos, com um vídeo que recordou algumas das decisões que os socialistas destacam, entre as quais a primeira, logo depois da vitória, de retirar as tropas espanholas do Iraque.

    O combate às alterações climáticas, as leis de igualdade e dependência, a reforma do sistema educativo, o aumento do emprego, pensões e salário mínimo e o casamento de homossexuais foram recordados no vídeo de aclamação de Zapatero que depois pediu o apoio de todos na pré-campanha que decorre sob o lema "um olhar positivo".

    Zapatero pediu uma maioria ainda mais ampla nas eleições de Março para que Espanha "continue a avançar" e contra o trabalho de "obstrução" que diz ter sido protagonizado nesta legislatura pelo Partido Popular (PP).

    Recordando os principais passos desta legislatura, traço os objectivos essenciais para a próxima, apelando novamente à unidade face à ETA e criticando o PP porque nunca, nos últimos quatro anos "ter juntado o ombro" ao governo e ter preferido "a inútil crispação".

    As últimas sondagens continuam a dar vantagem aos socialistas, apontando até para um aumento do apoio eleitoral relativamente a Março de 2004.

    Em termos dos candidatos, Zapatero continua a ser o que merece nota mais positiva, enquanto Mariano Rajoy, líder do Partido Popular (PP) - maior força da oposição - merece pior valoração e cai para quarto ou quinto lugar, dependendo das sondagens.

    Rajoy tinha já sido proclamado candidato do PP em 27 de Outubro último num encontro em Valência.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.