Washington elogia atitude de Luís Amado e de Portugal

Washington elogia atitude de Luís Amado e de Portugal

 

Lusa7AO Online   Internacional   23 de Dez de 2008, 17:50

 Os Estados Unidos saudaram hoje a vontade expressa por alguns países europeus, nomeadamente Portugal, de acolher prisioneiros de Guantanamo se esta controversa prisão norte-americana encerrar.
    "Notei recentemente algumas informações provenientes da Europa que são muito encorajantes a propósito de uma nova atitude da parte dos países europeus e da UE", declarou o porta-voz do departamento de Estado, Sean McCormack, durante uma conferência de imprensa.

    "Portugal e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Amado, deveriam ser saudados pelo que fizeram para abrir a via a uma nova atitude europeia a este propósito", acrescentou McCormack, retomando nomeadamente as declarações do governo alemão.

    Na segunda-feira, numa entrevista à agência noticiosa AFP, a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, saudou também a iniciativa de Luis Amado, declarando esperar que incite outros países europeus a seguirem o exemplo de Portugal.

    "Espero que a abertura que Amado mostrou - da qual falamos quando estive em Portugal há alguma semanas- dê um novo ímpeto aos esforços para resolver o problema dos prisioneiros de Guantanamo", declarou a chefe da diplomacia norte-americana.

    "Mas são pessoas verdadeiramente perigosas e não sei se as podemos colocar no meio de uma população sem qualquer desconfiança ou na prisão", acrescentou Rice.

    No início de Dezembro, Amado fez saber que Portugal estava preparado para ajudar o novo governo norte-americano no seu projecto de encerramento de Guantanamo acolhendo detidos e apelando aos outros países europeus para fazerem o mesmo.

    O governo alemão disse esta segunda-feira que poderia encarar acolher prisioneiros de Guantanamo mas apenas no quadro de uma acção concertada com outros países da União europeia.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.