Vasco Cordeiro satisfeito com visita à Bermuda e integração da comunidade açoriana

Vasco Cordeiro satisfeito com visita à Bermuda e integração da comunidade açoriana

 

Lusa/AO online   Regional   5 de Nov de 2019, 15:31

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, mostrou-se esta terça-feira satisfeito com a integração da comunidade açoriana na Bermuda, garantindo apoio do executivo aos desafios que os emigrantes na região têm pela frente.

Após uma audiência com o 'premier' [chefe de Governo] da Bermuda, no último de quatro dias de visita, Vasco Cordeiro mostrou-se satisfeito pelo "convite e hospitalidade" das autoridades do território, valorizando os dias de trabalho em que conheceu "um pouco mais" a realidade da comunidade açoriana "e também a forma como as instituições políticas" da região "encaram o contributo" dos portugueses.

"Foi uma visita muito produtiva e o balanço é claramente positivo", acrescentou o chefe do executivo açoriano.

À imprensa portuguesa, o 'premier' Edward David Burt disse ter sido convidado por Vasco Cordeiro para visitar os Açores em 2020, e demonstrou vontade em "continuar a alimentar os laços de amizade" entre as duas regiões.

Questionado sobre problemas admitidos por alguns portugueses em torno de burocracia referente à emigração, Burt diz que estão em marcha, a nível parlamentar, mudanças nesse sentido, lembrando a "história progressista" do seu executivo na defesa dos direitos das pessoas.

Esta é a primeira deslocação oficial de Vasco Cordeiro à Bermuda, que foi destino da emigração açoriana desde meados do século XIX.

Estima-se que cerca de 20 a 25% da população da Bermuda seja descendente de portugueses, dos quais 90% de origem açoriana.

Se relativamente aos outros destinos da emigração açoriana, a maioria dos emigrantes eram oriundos de todas as ilhas do arquipélago, no caso da Bermuda são, maioritariamente, naturais de concelhos específicos da ilha de São Miguel.

A Bermuda foi, assim, o terceiro grande destino da emigração açoriana, após Brasil e Estados Unidos da América.

­Relativamente aos processos que foram tratados diretamente pela Direção Regional das Comunidades dos Açores, apurou-se, de 1960 a 2018, um total de 8.626 cidadãos portugueses da região que saíram para a Bermuda com contrato de trabalho, para exercerem diversas atividades profissionais, nomeadamente nas áreas da construção civil e jardinagem.

De 2013 a 2018 saíram 389 cidadãos dos Açores e este ano, de janeiro a 13 outubro, foram 80 os açorianos com contrato de trabalho que emigraram para a Bermuda.

A visita à Bermuda arrancou no sábado e termina hoje.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.