Duatlo

Vanessa Fernandes revalida título mundial

Vanessa Fernandes revalida título mundial

 

Lusa/AO online   Outras modalidades   27 de Set de 2008, 15:08

Vanessa Fernandes revalidou hoje o título de campeã mundial de duatlo, ao dominar totalmente os Mundiais disputados em Rimini, Itália, que venceu com mais de dois minutos de vantagem sobre a segunda classificada, a britânica Catriona Morrisson
Vanessa Fernandes revalidou hoje, em Rimini, Itália, o título de campeã mundial de duatlo, dominando totalmente a prova de elites femininas dos Mundiais, que venceu com mais de dois minutos de vantagem sobre a britânica Catriona Morrisson.
A atleta do Benfica, vice-campeã olímpica de triatlo em Pequim2008, isolou-se logo entre o terceiro e o quatro quilómetro do percurso inicial de 10 quilómetros de corrida a pé, depois cumpriu os 40 de ciclismo isolada e necessitou apenas de gerir a vantagem nos últimos cinco de corrida.
"Foi uma prova muito parecida com a de há dois anos no Campeonato da Europa, disputada no mesmo percurso em Rimini, e com a do Campeonato do Mundo do ano passado", disse à Agência Lusa o Director-Técnico Nacional (DTN).
Sérgio Santos recordou que, depois de se ter isolado ainda antes da primeira metade dos 10 quilómtros iniciais de corrida a pé, Vanessa Fernandes cumpriu "os 40 quilómetros de ciclismo sozinha em ritmo de contra-relógio" e manteve-se isolada nos cinco finais de corrida a pé, durante os quais "foi fácil gerir a vantagem".
"Terminou com mais de dois minutos de vantagem sobre a britânica Catriona Morrisson, que é uma das mais dedalhadas atletas no duatlo", sublinhou o DTN.
Além de Vanessa Fernandes, 22 anos, e Catriona Morrisson, 31, o pódio ficou completo com a presença da veterana espanhola Ana Burgos, 40, no degrau mais baixo.
Na prova de juniores masculinos, João Silva foi o melhor português, ao terminar no 19º lugar depois de se atrasar devido a uma distracção na última volta do ciclismo, enquanto Fabrício Tomás e Hugo Ventura foram 26º e 28º, respectivamente.
Segundo Sérgio Santos, João Silva, que era uma das esperanças para a conquista de uma medalha, "andou sempre na frente até à última volta do ciclismo, mas depois teve uma distracção fatal", que o fez atrasar-se muito à entrada para o derradeiro segmento de corrida a pé.
"Pensava que ainda tinha mais uma volta e acabou por ser um dos últimos a entrar no percurso. Os outros já chegaram descalços e ele perdeu muito tempo na transição. Foi uma distracção fatal para um atleta com a sua experiência e que pensávamos que podia chegar às medalhas", disse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.