Vaga de calor no norte da Europa é consequência das alterações climáticas, diz estudo

Vaga de calor no norte da Europa é consequência das alterações climáticas, diz estudo

 

Lusa/Ao online   Internacional   28 de Jul de 2018, 01:42

A vaga de calor que atinge o norte da Europa é reflexo das alterações climáticas, conclui um estudo preliminar esta sexta feira divulgado pela agência AFP.

O estudo, realizado por investigadores da rede internacional World Weather Attribution, baseou-se em dados e previsões meteorológicas e em modelos climáticos, tendo concluído que a onda de calor na região "é um sinal sem ambiguidade" do aquecimento global.

A equipa de cientistas comparou, inclusive, os três dias mais quentes consecutivos de sete estações meteorológicas de seis países (Finlândia, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Noruega e Suécia) com os três dias mais quentes consecutivos registados anualmente pelas mesmas estações a partir do início do século XX.

Desde o começo da vaga de calor, que afeta também o centro da Europa, os especialistas têm defendido que o fenómeno é compatível com as tendências previstas pelos modelos climáticos.

Os autores do estudo estimam que na Holanda, Dinamarca e Irlanda as alterações climáticas mais do que duplicaram a probabilidade da vaga de calor atual.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.