União Sportiva critica divisão da Palavra Açores

União Sportiva critica divisão da Palavra Açores

 

Nuno Martins Neves   Outras modalidades   26 de Set de 2019, 10:04

André Amaral sublinha a discriminação que persiste entre as equipas femininas e masculinas. Tabela com a distribuição das verbas foi publicada ontem em Jornal Oficial.

O Governo Regional dos Açores publicou ontem, em Jornal Oficial, a resolução do Conselho de Governo que definiu a tabela do apoio da Palavra Açores para a temporada 2019/2020, dados já revelados pelo Açoriano Oriental na edição de 21 de setembro.


Ao todo são 1,8 milhões de euros a dividir por 13 equipas (futebol, basquetebol, voleibol, andebol, hóquei em patins e ténis de mesa) mais o campeão dos Açores de ralis, com o Santa Clara a receber a “fatia de leão” (1 milhão).


A crítica do presidente do Clube União Sportiva centrou-se naquilo que apelida de “discriminação nos apoios da Palavra Açores”. Para André Amaral, o facto da equipa masculina do Sport Clube Lusitânia receber 126 mil euros e os femininos do União Sportiva apenas 38 mil, quando ambos militam no escalão principal do basquetebol nacional, significa que “o género masculino vale mais 88 mil euros que o género feminino”.


Em declarações proferidas na sua página na rede social Facebook, e aqui reproduzidas com a autorização do próprio, o dirigente ataca os “graus de notoriedade diferentes” utilizados pelo governo açoriano para justificar a discrepância no valor dos apoios.


“Os masculinos recebem todos por igual e os femininos também. Ou será que o andebol, o voleibol e o basquetebol masculino tem exatamente a mesma notoriedade que lhes permite receber ao cêntimo por igual. E será que o hóquei em patins masculino da 2.ª Divisão Nacional tem exatamente a mesma notoriedade que o voleibol feminino e o basquetebol feminino (que lutam por títulos nacionais) que lhes permite receber por igual?” questiona André Amaral.


Esta questão tem sido levantada nos últimos meses, com a deputada social-democrata Mónica Seidi a questionar o Governo Regional dos Açores sobre o porquê da disparidade entre os apoios dados a clubes no mesmo escalão competitivo. Em março deste ano, Berto Messias, secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, referiu que estava a ser feita uma avaliação em relação ao ‘share’ e aos impactos mediáticos e publicitários em várias modalidades, de forma a se perceber quais os seus reais impactos mediáticos”, avaliação esta que ainda continua por ser revelada.


Equipa prepara-se para arranque ‘difícil’ de competição frente ao Benfica


A equipa sénior feminina do União Sportiva inicia oficialmente a sua época desportiva esta sexta-feira, às 18h00, em Portimão, com a participação na Taça Vítor Hugo. O embate com o Benfica está a ser preparado ao pormenor, com o presidente da formação açoriana apostado em estar novamente nas finais das provas.

“Montamos uma equipa competitiva e o objetivo é estar presente nas decisões”, refere André Amaral, acrescentando esperar muitas dificuldades frente às “águias”, equipa que se reforçou muito esta época, “inclusive com três jogadoras nossas”, referindo-se à norte-americana Destinee Young e as portuguesas Joana Soeiro e Josephine Filipe.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.