Guiné-Bissau

UE preocupada com mais um episódio violento envolvendo forças armadas da Guiné-Bissau


 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Out de 2012, 17:41

A Alta Representante da União Europeia para a Política Externa está "preocupada" com o ataque de domingo na Guiné-Bissau, o "mais recente de uma longa série de intervenções violentas" das forças armadas, disse o seu porta-voz.

Michael Mann indicou que Catherine Ashton está preocupada com os atos violentos ocorridos no domingo na Guiné-Bissau, “desta vez aparentemente levados a cabo por um grupo opositor no seio das próprias forças armadas”, o que demonstra mais uma vez a urgência de retirar toda a influência das forças armadas sobre os poderes civis e levar a cabo “uma reforma genuína e profunda do setor da segurança”.

O porta-voz apontou ainda que a UE está em contacto próximo com a União Africana, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e as Nações Unidas.

Na madrugada de domingo, um grupo de homens armados tentou tomar pela força o quartel dos para-comandos, uma unidade de elite das forças armadas da Guiné-Bissau, tendo resultado seis mortos dos confrontos, todos do grupo assaltante.

A informação foi prestada pelo governo de transição, que diz que o grupo era comandado pelo capitão Pansau N´Tchama e acusa Portugal, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e o primeiro-ministro guineense deposto, Carlos Gomes Júnior, de envolvimento no ataque.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.