Turistas portugueses optam cada vez mais por alojamento gratuito

Turistas portugueses optam cada vez mais por alojamento gratuito

 

Lusa/AO online   Economia   2 de Nov de 2012, 10:17

Os turistas portugueses intensificaram no 2º trimestre a opção pelo alojamento particular gratuito em detrimento da hotelaria, com o primeiro a representar já 73% do total das dormidas, segundo divulgou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com as estatísticas relativas à procura turística dos residentes em Portugal entre abril e junho de 2012, 73% das 11,8 milhões de dormidas originadas pelas deslocações aconteceram em alojamento particular gratuito, cujo peso “subiu significativamente” face aos 64,6 por cento do 2.º trimestre do ano passado.

Comparando o 1.º semestre de 2011 com o deste ano, o peso do alojamento gratuito subiu de 66,4% para 74,4%, em grande parte devido à quebra nas dormidas em hotéis e pensões, que passaram de 24,9% para 18,6%.

Segundo o INE, no total, os residentes em Portugal realizaram 3,7 milhões de deslocações turísticas de abril a junho (mais 6,7% do que em 2011) e 7,1 milhões no conjunto do 1º semestre (mais 13,4%).

“Para o aumento observado neste semestre contribuiu essencialmente o acréscimo registado nas deslocações para visita a familiares ou amigos (mais 17,8%), já que a variação verificada nas deslocações por ‘lazer, recreio ou férias’ foi de mais 5,8%”, nota o instituto.

Ao longo do 1.º semestre, estes dois motivos foram responsáveis por mais de 80% dos turistas.

De abril a junho, 50,2% dos turistas portugueses eram do sexo feminino, 32,7% tinham entre 45 e 64 anos e 68,9% dos que viajaram por motivos ‘profissionais ou de negócios’ eram do sexo masculino.

O mês de junho foi o que registou maior número de turistas, com 9% da população residente em Portugal a efetuar pelo menos uma deslocação para fora do seu ambiente habitual, com uma ou mais pernoitas.

Essa proporção foi de 8,8% em abril, devido à ocorrência do período da Páscoa, e de apenas 6,9% em maio.

Enquanto o número de viagens aumentou 6,7% no trimestre, o número médio de noites por viagem reduziu-se para 3,2 (contra 3,4 no período homólogo do ano anterior).

Do total de viagens efetuadas no 2.º trimestre, 90% (3,3 milhões) ocorreram em Portugal e as restantes 10,2% (372 mil) tiveram como destino um local no estrangeiro.

O meio de transporte usado com mais frequência foi o automóvel, em 80,2% das viagens, em linha com os 80% do mesmo período de 2011.

Já o avião foi utilizado em 7,8% das viagens e os outros meios de transporte (outros veículos particulares, rodoviário coletivo, ferroviário e marítimo) representaram 12% do total.

De janeiro a junho, 78,1% das viagens realizaram-se sem qualquer marcação antecipada de serviços, incluindo transporte e alojamento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.