Tripulantes da SATA podem partir para a greve


 

Lusa/AO   Regional   19 de Set de 2008, 11:40

Os tripulantes de cabine da SATA Air Açores podem paralisar nos últimos dias da campanha eleitoral paras as eleições regionais de Outubro, como forma de "chamar a atenção da classe política" para as suas reivindicações.
Henrique Martins, do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVA), adiantou hoje à agência Lusa que foi "aprovado por unanimidade um pré-aviso de greve", numa assembleia-geral realizada na cidade de Ponta Delgada.

    "A paralisação será realizada no próximo mês de Outubro, provavelmente na semana das eleições", afirmou o dirigente do SNPVA, que admite que a greve possa ocorrer a 16 e 17 de Outubro.

    A campanha eleitoral decorre de 05 a 17 de Outubro, enquanto que as eleições legislativas regionais estão agendadas para 19 do mesmo mês.

    Em causa está "o não cumprimento da lei" por parte da SATA Air Açores, nomeadamente "falta de formação e o protelar da assinatura do novo acordo da empresa e cumprimento do que está em vigor", aponta o sindicato.

    Segundo Henrique Martins, existem nalguns casos tripulantes a quem não foi dada formação obrigatória por lei, desde há quatro anos.

    Além disso, o sindicato acusa a companhia aérea, que assegura as ligações entre as nove ilhas açorianas, de adiar a assinatura do novo Acordo da Empresa.

    Perante isto, Henrique Martins alegou que "não há mais diálogo possível" com a empresa, que "diz sempre ser para a semana que vai resolver a situação", o que já se tornou "um ciclo".

    "Temos noção que uma greve pode provocar transtornos aos passageiros, mas nesta situação é inevitável", afirmou Henrique Martins, frisando que a paralisação pretende "chamar a atenção da classe política” para as reivindicações dos 35 tripulantes de cabine da SATA Air Açores.

    A Lusa tentou uma reacção da SATA o que não foi possível para já.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.