Trinta suspeitos de terrorismo islâmico começam hoje a ser julgados em Madrid


 

Lusa/AO   Internacional   15 de Out de 2007, 09:29

Trinta suspeitos de terrorismo islâmico, detidos em Outubro 2004, começam hoje a ser julgados em Madrid, acusados do planeamento de um atentado bombista contra um tribunal na capital espanhola.
Os alegados terroristas planeavam usar um camião carregado de explosivos contra o edifício da Audiência Nacional em Madrid e, segundo o processo de acusação, destruir assim material documental relacionado com os atentados de 11 de Março de 2004, também em Madrid.

    Entre os arguidos contam-se três dos 28 suspeitos julgados por estes atentados e que, no processo em curso, deverão conhecer a sentença no final deste mês.

    O cabecilha do grupo é considerado Abderrahmane Tahiri, 34 anos e natural de Marrocos, que procurou no Verão de 2004 obter 500 quilos de explosivos para o ataque contra o tribunal.

    O atentado estava numa fase adiantada de preparação quando as detenções ocorreram, e pelo menos seis dos arguidos tinham manifestado disponibilidade para se suicidar no ataque ao tribunal, segundo o processo.

    Na fase de instrução todos os detidos negaram qualquer participação no planeado atentado.

    A maioria das detenções ocorreu em Outubro de 2004, sendo que alguns dos arguidos já tinham cadastro criminal por outros delitos.

    O julgamento que hoje começa decorre sob fortes medidas de segurança, com os arguidos a participar nas sessões colocados numa cela envidraçada e à prova de bala que os separará dos juízes, advogados e público.

    A lista de arguidos inclui 19 pessoas da Argélia, cinco de Marrocos e cidadãos do Afeganistão, Palestina e Líbano.

    As penas a que podem ser sujeitos variam entre 10 e 66 anos de cadeia por vários crimes, incluindo conspiração para cometer um atentado terrorista, liderança de um grupo terrorista e falsificação documental.

    Espera-se que o julgamento possa estar concluído até ao final do ano.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.