Literatura

Trasladação de Albert Camus para o Panteão objecto de debate


 

Lusa / AO online   Internacional   25 de Nov de 2009, 17:52

O projecto do presidente francês, Nicolas Sarkozy, de trasladar para o Panteão os restos mortais de Albert Camus suscitou reacções hostis de intelectuais e políticos que temem uma "recuperação" da imagem do autor, Prémio Nobel da Literatura em 1957.
 Há uma semana, Sarkozy defendeu a trasladação, considerando que "seria um símbolo extraordinário(...) fazer entrar Albert Camus no Panteão", meio século após a sua morte num acidente de viação.

Nesse sentido, segundo o jornal Le Monde, o presidente francês já em tempos entrara em contacto com os membros da família de Camus para obter o seu acordo.

Em finais de 2007, por exemplo, esteve reunido com a filha do romancista, Catherine Camus, Antoine Gallimard e uma dezena de escritores franceses e argelinos, num almoço organizado pela sua assessora Catherine Pégard, antiga jornalista do Point.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.