Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica exigem reunião no Ministério da Saúde

Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica exigem reunião no Ministério da Saúde

 

Lusa/AO Online   Nacional   19 de Nov de 2018, 17:27

Dirigentes sindicais dos técnicos de diagnóstico e terapêutica deslocaram-se ao Ministério da Saúde para reivindicar o reinício de um processo negocial sobre as carreiras, interrompido em setembro, e exigir uma reunião urgente com a ministra, Marta Temido.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica, Luís Dupont, afirmou estar em causa um protocolo negocial estabelecido no ano passado com o ministério sobre regulamentação das carreiras profissionais, que não está a ser aplicado porque o processo não está concluído.

De acordo com a mesma fonte, as propostas do governo ficaram "muito distantes" das reivindicações dos trabalhadores, colocando a grande maioria destes profissionais na base da carreira, pelo que os sindicatos aguardam contra-propostas.

"Queremos que a reunião se realize o mais rápido possível", acrescentou a mesma fonte, antes de entregar uma carta à tutela.

Os trabalhadores afirmam-se revoltados com a postura do governo, que classificam de "insultuosa" e "inaceitável", perante um processo negocial que consideram ter ultrapassado já "todos os limites".

"O Governo continua sem responder aos sindicatos. Não retoma o processo negocial, não apresenta novas propostas, e a ministra da Saúde não marcou ainda audiência, solicitada no dia da sua tomada de posse, há um mês", lamentou o dirigente.

Para o dia 24 de novembro, está marcada uma concentração nacional, que assinala um ano da assinatura do protocolo.

"Este processo não está encerrado", frisou, indicando que estão em causa grelhas salariais e categorias, num universo de 9.000 a 10.000 trabalhadores, que precisam da regulamentação em causa para verem efetivamente aplicadas as carreiras aprovadas em 2017: "Passado um ano e meio estão por regulamentar".




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.