Liga dos Campeões

Sporting de Braga bate Celtic por 3-0

Sporting de Braga bate Celtic por 3-0

 

Lusa/AO online   Futebol   28 de Jul de 2010, 21:33

O Sporting de Braga venceu os escoceses do Celtic, por 3-0, e colocou-se em vantagem na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões de futebol, após o encontro da primeira mão disputado no Minho
O Sporting de Braga ficou mais perto de estrear-se na fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol, após vencer em casa, por 3-0, um banal Celtic, amplamente dominado pela equipa portuguesa.

Golos de Alan (26 minutos), de penalti, Elderson (75) e Matheus (87), consumaram o justo resultado que satisfaz a ambição dos minhotos, com margem confortável para daqui a uma semana carimbar o apuramento para o “play-off” decisivo de acesso à desejada Liga milionária, na segunda mão da terceira pré-eliminatória.

Em início de época e com temperatura algo abafada, o desafio esteve longe de ser vistoso e emocionante, mas o triunfo assenta perfeitamente aos pupilos de Domingos Paciência, com outra qualidade técnica e os únicos a procurar o golo.

O adversário, sem imaginação, pouco agressivo e estranhamente conformado com a desvantagem, assumiu um papel de cordeiro, bem diferente do de leão que costuma desempenhar perante os seus indefectíveis adeptos.

Como lhe competia, o Sporting de Braga assumiu as despesas ofensivas desde o apito inicial, embora enfrentando sérias dificuldades para penetrar na defesa escocesa, que ia anulando as investidas lusas com maior ou menor dificuldade.

Aliás, o primeiro sobressalto foi passado pela defesa “arsenalista”, mas Moisés, entre dois avançados na zona ‘fatal’, fez um corte acrobático e assim aliviou a única oportunidade do adversário até intervalo.

Na resposta, Zaluska não segurou um remate forte de Paulo César, mas a recarga minhota saiu sem nexo.

Com a defesa pouco incomodada pelos avançados forasteiros, os laterais bracarenses subiam muito e foi numa incursão do defesa direito Miguel Garcia que surgiu o golo, na sequência de corte com o braço de Ki Sung Yeung (24): Alan converteu a grande penalidade.

Se até aí tinha sido praticamente inofensivo no ataque, a partir do golo, o Celtic sofreu ainda maior pressão por parte da equipa de Domingos, que atacava com paciência à procura do segundo, mas sem criar uma verdadeira situação para o conseguir ate ao descanso.

O figurino de sentido único manteve-se na etapa complementar: Mário Felgueiras tinha noite tranquila e os seus companheiros porfiavam à procura de golos para garantir tranquilidade na decisão da eliminatória na próxima semana.

Paulo César (52), em lance trapalhão e com sucessivos ressaltos, quase era feliz, mas rematou fraco e Alan, sem ângulo, tentou o golo, mas “apenas” ganhou o canto (75).

Na cobrança do mesmo, Mathaeus colocou no centro da área, a defesa escocesa ficou a ver e o lateral esquerdo Elderson aproveitou para desviar para o golo, com a bola a entrar frouxa junto ao desguarnecido segundo poste.

O Celtic só por uma vez assustou, com remate de Mulgrew (84) rente ao poste esquerdo.

Aos 87, com o jogo aparentemente decidido, Matheus cobrou exemplarmente um livre directo e fez o 3-0 que dá à equipa excelentes perspectivas para a segunda mão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.