Sítio "Ler por aí..." quer conciliar viagens e leituras

Sítio "Ler por aí..." quer conciliar viagens e leituras

 

Lusa / AO online   Nacional   27 de Set de 2007, 10:48

A intenção de reunir dois prazeres - viajar e ler - levou à criação do sítio "Ler por aí...", onde a proposta é clara: se está de partida, não se esqueça de colocar na bagagem um livro cuja história se desenrole no local que vai visitar.

O espaço na Internet nasceu há pouco mais de um ano, por iniciativa da empresária Margarida Branco, de 38 anos, que contou à agência Lusa a génese da ideia: "Quando ia em viagem, sentia a necessidade de levar um livro sobre o local, um livro cuja trama decorresse ali, onde estava, pelo que comecei a pesquisar na Internet por alguma página que associasse livros a lugares. Como não encontrei nada, criei eu esse espaço".

Assim surgiu, em Junho de 2006, o sítio "Ler por aí...", alojado em https://www.lerporai.com e onde é dito que "ao ler um livro cujo cenário é o local em que se está, esse lugar ganha vida, povoa-se das personagens da história e como que testemunhamos o desenrolar da acção com os nossos cinco sentidos".

"É uma experiência muito interessante ler um livro no local que o autor escolheu como cenário", afirma Margarida Branco, assegurando que, antes de viajar, tem sempre a preocupação de procurar um livro adequado para levar consigo.

Para contagiar os outros com esta paixão, colocou no sítio "Ler por aí..." uma lista de obras com os correspondentes lugares onde a leitura será particularmente apreciada.

Quem está de partida para a Amazónia não deve embarcar sem o livro "A Selva", de Ferreira de Castro, enquanto "Ventos de Quaresma", de Leonardo Padura, é a proposta para quem ruma a Cuba e "Siddhartha", de Hermann Hesse, a sugestão para quem se dirige à Índia.

Mesmo para quem não vai tão longe, a companhia de um livro é indispensável, na opinião de Margarida Branco, que sugere "Estórias do Sul", de Teresa Rita Lopes, para uma deslocação ao Algarve, "Uma Família Inglesa", de Júlio Dinis, a quem vai de visita ao Porto e "Mau Tempo no Canal", de Vitorino Nemésio, a quem voa para os Açores.

"Comecei por indicar 30 livros mas a página já tem mais de 64", assinalou a mentora do projecto, que assegurou andar "sem tempo para colocar no sítio" a sua tabela pessoal, "que já tem mais de uma centena de obras" e todos os meses destaca uma nova sugestão.

Desde que deu início ao "Ler por aí...", a gestora do espaço também mudou os seus hábitos de leitura, passando a "escolher livros que possam dar um contributo para a página", onde se procura equilibrar "autores portugueses e estrangeiros".

Além disso, "há pessoas a sugerirem livros e outras a perguntarem se há algum que eu aconselhe para levar de viagem para um determinado local", contou à Lusa.

Quando uma pessoa não encontra na página uma proposta de leitura indicada para a viagem que vai realizar, Margarida Branco faz a pesquisa e oferece sugestões.

Porém, neste caso os conselhos são pagos: uma sugestão custa oito euros, duas ficam em quinze euros, três em vinte euros e, quando o leitor pede mais do que três propostas, paga cinco euros por cada uma.

É uma forma de tentar rentabilizar o sítio, que funciona também como uma pequena loja: "Se as pessoas desejarem, podem dizer-me que livro querem, que eu compro-o e envio-o pelo correio", explicou Margarida Branco, esclarecendo, no entanto, que "esta não é, nem será, a vertente principal do espaço".

"A minha motivação é, muito acima de tudo, poder incentivar à leitura", assegurou, lamentando que, em Portugal, "se leia pouco e nem sempre o que há de melhor".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.