Aviação

Sindicato diz que greve na SATA não obriga a serviços mínimos

Sindicato diz que greve na SATA não obriga a serviços mínimos

 

Lusa/AO online   Economia   27 de Ago de 2008, 16:45

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) defendeu que a greve na SATA, marcada para o início de Setembro, não obriga ao cumprimento de serviços mínimos, por se tratar de uma paralisação parcial.
Depois de terem realizado, entre 30 de Julho e 10 de Agosto, uma primeira paralisação, os trabalhadores de terra da transportadora aérea açoriana voltam a partir para a greve em Setembro, alegando que não obtiveram da administração e do Governo açoriano garantias de que a segmentação do grupo não vai avançar.

    Em declarações à agência Lusa, Antero Quental, do SITAVA, sublinhou que não se trata de um protesto de 24 horas, mas de uma greve parcial de três horas, razão pela qual não faz sentido a requisição de serviços mínimos pedidos pelo Governo Regional, accionista maioritário da SATA, depois da respectiva consulta à companhia aérea.

    O novo protesto prevê, entre 01 e 15 de Setembro, greve ao trabalho suplementar e, de 02 a 07 do mesmo mês, a entrada de cada trabalhador duas horas mais tarde em cada turno e saída uma hora mais cedo.

    "Estamos esperançados que o colégio arbitral atenda os nossos argumentos", afirmou Antero Quental, ao garantir que estará assegurada "a assistência a voos de emergência e de Estado".

    Este mês, o SITAVA lançou um pré-aviso para uma nova greve parcial, contra a intenção de segmentar o grupo, alegando que vai potenciar "a abertura descontrolada das respectivas áreas estratégicas ao capital privado".

    "Redução do número de postos de trabalho, o agravamento da precariedade e a multiplicação de regulamentações laborais de empresa para empresa e entre diferentes segmentos de trabalhadores" são outros dos argumentos apontados pelo sindicato contra a eventual segmentação da companhia.

    A SATA, através de duas companhias do grupo, assegura os voos entre as nove ilhas dos Açores e as ligações do arquipélago ao continente.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.