Sindicato da aviação e aeroportos não comenta interesse do Brasil na TAP, empresa diz-se "honrada"

Sindicato da aviação e aeroportos não comenta interesse do Brasil na TAP, empresa diz-se "honrada"

 

Lusa/Aonline   Nacional   8 de Set de 2011, 08:43

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) reafirmou  que é contra a privatização da transportadora aérea nacional, em reação às declarações do ex-presidente brasileiro, Lula da Silva, sobre o interesse do país na TAP.

“A nossa posição tem sido muito clara, somos contrários à privatização da TAP. É uma empresa nacional, a primeira transportadora aérea, não faz sentido que a empresa seja vendida”, disse Vítor Mesquita, da direção do SITAVA.

Por sua vez, o porta-voz da TAP António Monteiro disse apenas que a empresa se sente honrada pelas palavras de Lula da Silva.

“A TAP sente-se honrada pelas palavras do ex-presidente Lula da Silva, uma figura de grande importância e respeito para os países lusófonos e para todo o mundo”, limitou-se a dizer sem fazer mais comentários.

Na quarta-feira, em Lisboa, Lula da Silva referiu que um dos assuntos discutidos com os governantes portugueses nesta sua visita, que começou na segunda-feira, foi o eventual interesse do Brasil na TAP, que considerou ser “uma empresa extremamente importante”.

O sindicalista Vítor Mesquita acrescentou que se deve verificar os prejuízos da TAP, pois acredita que não sejam devido à parte operacional da empresa.

“O que se deve fazer é tentar perceber os prejuízos da TAP. Estes prejuízos são devido aos negócios ruinosos que têm sido feitos pela administração”, referiu, acrescentando que entre as más opções para a TAP está a compra da “falida” empresa brasileira de manutenção de aviões VEM (que pertencia à companhia brasileira VARIG), agora TAP Manutenção e Engenharia Brasil.

O ex-presidente brasileiro afirmou também que os estaleiros de Viana do Castelo poderão vir a ser muito importantes para uma cooperação entre Portugal e Brasil com vista ao desenvolvimento da indústria naval brasileira.

O antigo mandatário brasileiro manteve encontros com o primeiro-ministro Passos Coelho, com o Presidente Cavaco Silva, entre outras autoridades e empresários.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.