Madeleine

Se os McCann estivessem envolvidos no desaparecimento mereceriam um Óscar


 

Lusa/AO online   Nacional   6 de Out de 2007, 11:54

Se o casal McCann estivesse envolvido no desaparecimento da filha mereceria um Óscar pela representação, diz hoje ao "The Times" um especialista em Relações Públicas que os acompanhou nos primeiros dias e afirma ter presenciado o seu desespero.
Ao diário britânico, Alex Woolfall, enviado à Praia da Luz pela companhia que organizou a viagem da família a Portugal, diz que a aparente calma que o casal apresentava após o desaparecimento de Madeleine nada tem a ver com a perturbação e o medo que demonstrou nos bastidores.
"Se eles estivessem envolvidos ou de alguma forma fossem culpados, para mim, teriam que ganhar todos os globos de ouro e Óscares alguma vez atribuídos", disse, acrescentando estar convencido de que Kate e Gerry estão inocentes.
O britânico sublinha ao "The Times" que o estado de espírito do casal durante os primeiros dias oscilava entre a angústia e a determinação para fazer o que fosse necessário para ajudar a encontrar a menina, desaparecida há cerca de cinco meses.
Segundo Alex Woolfall, a seguir ao desaparecimento, a primeira suposição dos McCann ia no sentido de Madeleine ter-se perdido e sofrido um acidente, ou sido levada por um estranho bem intencionado, não tendo o casal equacionado logo a hipótese da menina ter sido levada por um pedófilo.
O especialista em Relações Públicas chegou a Portugal dia 05 de Maio, dois dias depois de Madeleine ter desaparecido e diz que o casal se comportava exactamente como ele esperava que alguém se comportasse numa situação daquelas.
"Eles não tinham dormido e queriam desesperadamente publicitar a cara da menina", contou, acrescentando que os McCann estavam ao mesmo tempo a tentar lidar emocionalmente com o que tinha acontecido e, por outro lado, encontrar uma forma de trazê-la de volta.
O britânico diz ter ficado surpreendido com a reacção dos observadores ingleses ao comportamento do casal, que criticaram o seu aparente controlo e frieza perante a situação, embora Woolfall diga que era exactamente o contrário.
"Eles não estavam de todo controlados. Quando estava com eles, oscilavam entre um estado de absoluta perturbação e a tentativa de fazer aquilo que achavam ser correcto perante o que tinha acontecido", sublinhou.
Kate e Gerry McCann regressaram no início de Agosto ao Reino Unido, depois de terem sido constituídos arguidos e sujeitos a Termo de Identidade e Residência, não tendo voltado a ser, depois disso, formalmente interrogados pelas autoridades.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.