Santa Cruz da Graciosa aprova orçamento de 6 ME para 2018 por unanimidade

Santa Cruz da Graciosa aprova orçamento de 6 ME para 2018 por unanimidade

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Dez de 2017, 08:11

O orçamento da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa para 2018, com uma verba de cerca de 6 milhões de euros, foi hoje aprovado por unanimidade em reunião camarária.

"O orçamento é de cerca de 6 milhões de euros. É um bocadinho maior do que o de 2017, porque integra três grandes obras, com candidaturas já aprovadas a fundos comunitários", adiantou, em declarações à Lusa, Manuel Avelar Santos, presidente do município (PS).

Em 2017, o orçamento executado do único município da ilha Graciosa, nos Açores, foi de cerca de 5,5 milhões de euros, segundo o autarca, o que significa que a previsão para 2018 tem um ligeiro acréscimo.

A proposta, que ainda terá de ser aprovada em assembleia municipal, onde o PS também tem maioria, mereceu os votos favoráveis dos vereadores do PSD.

Manuel Avelar Santos congratulou-se com o voto da oposição, salientando que os representantes dos dois partidos estão a "trabalhar em conjunto para o bem da ilha".

"Pensamos que os vereadores da oposição entenderam que as nossas propostas vão de encontro ao que eles também propõem", salientou.

Entre as principais obras do município para 2018, estão três cofinanciadas: a remodelação da rede de águas, orçada em um milhão de euros, o parque empresarial, também orçado em um milhão de euros, e a requalificação do centro de Santa Cruz, que inclui os pauis e tem um custo estimado de 700 mil euros.

O autarca destacou ainda as obras de requalificação da Casa Museu João Tomaz Bettencourt e de criação de um edifício de apoio ao parque de campismo, apoiadas pela associação Grater.

Segundo Manuel Avelar Santos, além destas infraestruturas, "fundamentais para a economia do concelho", as prioridades da câmara municipal para 2018 são os apoios à fixação de população e às mais de 30 associações da ilha Graciosa.

A autarquia atribui 10 bolsas de estudo por ano a estudantes de licenciaturas específicas ou com carências económicas e paga a primeira passagem de avião a todos os jovens que vão estudar para fora da ilha.

Por outro lado, é atribuído um apoio à natalidade, que pode chegar aos 500 euros, consoante os rendimentos do agregado familiar.

"Temos uma população muito envelhecida e uma pirâmide invertida, morrem mais pessoas do que nascem, e isso preocupa-nos", apontou Manuel Avelar Santos, acrescentando que a quebra de população já se verifica desde a década de 50.

À semelhança de 2017, o município vai manter o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) no valor mínimo permitido por lei (0,3%), não vai cobrar derrama e vai devolver aos munícipes 2% da parte variável do Imposto sobre Rendimentos Singulares (IRS), segundo o autarca.

"Nós gostávamos de poder aliviar a população, cobrando menos IRS, mas o orçamento não estica. Sem essas receitas como é que podemos ajudar mais de 30 associações?", sublinhou.

Manuel Avelar Santos foi reeleito para um terceiro mandato à frente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, pelo PS, em outubro, mantendo a maioria, com três mandatos, enquanto o PSD conquistou dois.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.