Açoriano Oriental
Covid-19
Rui Anjos pede medidas de combate a “inimigo invisível”

O empresário da restauração, Rui Anjos, que detém oito espaços de restauração e bebidas em Ponta Delgada com 150 funcionários, alerta para a “dimensão do problema socioeconómico” decorrente do impacto negativo do Covid-19

article.title

Foto: Eduardo Resendes
Autor: Paulo Faustino

“Enquanto houver pão em cima da mesa das pessoas, a tranquilidade imperará. Este ‘sossego’ está diretamente associado ao que os privados farão com o seu quadro de pessoal. Há empresários que optaram por fechar sem saberem como fazer em relação a determinados aspetos. Uns dão férias. Outros vão começar a despedir já amanhã. Será uma semana negra”, afirma Rui Anjos num extenso post publicado no seu sítio do Facebook.

O também responsável nos Açores pela Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) lembra, por um lado, existirem cerca de 20 mil postos de trabalho ligados ao turismo na Região e, por outro, que o final do mês se aproxima para o pagamento de salários.


Ler mais na edição desta terça-feira, 17 março 2020, do jornal Açoriano Oriental


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.